Bolsas de NY recuam com temor sobre zona do euro

Os índices acionários norte-americanos fecharam em queda hoje, depois que preocupações sobre a situação dos bancos italianos e medidas de austeridade na Grécia e balanços desapontadores de empresas de tecnologia ofuscaram a recuperação maior do que a esperada dos dados das encomendas de bens duráveis nos EUA.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

24 de junho de 2011 | 18h59

O nervosismo dos investidores manifestou-se depois que a negociação das ações de vários bancos italianos foi suspensa temporariamente no começo da sessão europeia na sequência de uma queda brusca dos papéis. Um porta-voz da Bolsa de Milão disse que a suspensão ocorreu por causa da alta volatilidade.

Entre as possíveis razões citadas para o declínio das ações, estava um rumor não confirmado de que esses bancos não passarão num teste de estresse em julho. A agência de classificação de risco Moody''s também advertiu ontem que um grupo de bancos italianos pode enfrentar possíveis rebaixamentos.

O Departamento do Comércio dos EUA disse que as encomendas de bens duráveis subiram 1,9% em maio, para o nível sazonalmente ajustado de US$ 195,57 bilhões. Economistas ouvidos pela Dow Jones previam aumento de 1,6% das encomendas. Embora os números tenham vindo acima do esperado, eles não foram suficientes para alterar o cenário de desaceleração que a economia norte-americana enfrenta.

O índice Dow Jones fechou em queda de 115,42 pontos (0,96%), a 11.934,58 pontos, liderado pela Cisco Systems, que recuou 3,5%. O Nasdaq caiu de 33,86 pontos (1,26%), a 2.652,89 pontos, com as ações tecnológicas sendo afetadas pelos balanços decepcionantes da Oracle e da Micron Technology. O S&P-500 encerrou em queda de 15,05 pontos (1,17%), a 1.268,45 pontos. O NYSE Composite caiu 79,36 pontos (0,99%), a 7.974,72 pontos.

As ações da Oracle recuaram 4,1%, após a companhia anunciar uma previsão desapontadora de um crescimento das vendas de novas licenças, embora seu lucro tenha aumentado 36% no quarto trimestre fiscal.

A Micron Technology caiu 14%, afetada pela queda do lucro e da receita no terceiro trimestre fiscal, em meio ao declínio dos preços de venda.

A AMR perdeu 6,8%, após afirmar que não conseguirá alcançar sua meta de manter os custos estáveis neste ano. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.