Bolsas de NY recuam na abertura com petróleo

As bolsas norte-americanas abriram em queda, pressionadas pelo forte aumento de mais de 2,5% no preço do petróleo em reação à escalada das tensões entre o Irã e o Ocidente e pelos dados decepcionantes de encomendas de bens duráveis de fevereiro nos Estados Unidos. Um novo distúrbio no mercado imobiliário, causado pela Beazer Homes, deve manter o setor no centro das atenções. Os mercados também estarão de olho no depoimento do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, ao Congresso, com início previsto para as 10h30 (de Brasília) e na fala do secretário do Tesouro, Henry Paulson, na Câmara, sobre o orçamento de 2008. Às 10h38 (de Brasília), o índice S&P 500 caía 0,52%; o Nasdaq perdia 0,51%; e o Dow Jones recuava 0,46%. As ações da construtora Beazer Homes despencaram 13% no pré-mercado com as notícias de que a empresa será alvo de uma investigação criminal federal sob a acusação de ter arranjado empréstimos hipotecários para compradores em suas subdivisões. A Beazer disse que a procuradoria não alegou a realização de nenhum crime e que apenas pediu por documentos. As notícias afetaram outras construtoras e as ações da Toll Brothers perderam 1,6% no pré-mercado, enquanto as da Hovnanian Enterprises recuaram 2,3%, as da D.R. Horton cederam 1,7%, as da Lennar caíram 1% e as da Pulte Homes perderam 1,8%. Algumas fornecedoras de empréstimos imobiliários subprime (de maior risco, a taxas mais elevadas) também estão afetadas por uma notícia publicada no jornal "The New York Times" de que a New Century Financial pode pedir proteção contra falência no sábado. As ações da Accredited Home Lenders perderam 2,8% no pré-mercado. Já as ações da AT&T subiram 0,5% e as da Apple recuaram 0,4% em reação à notícia publicada no Financial Times de que um milhão de clientes da AT&T manifestaram interesse pelo iPhone da Apple. A General Motors informou que não irá participar da primeira rodada de ofertas da unidade da Chrysler da DaimlerChrysler, segundo informou o "The Times" londrino. As ações da DaimlerChrysler listadas nos EUA caíram 1% no pré-mercado. As ações da Wal-Mart por sua vez recuaram 1%, com as notícias de que a companhia pode ter arquivado seus planos de abrir uma loja em Nova York, de acordo com informações do "The New York Times", citando uma reunião que o chairman da empresa teve com editores e repórteres do jornal. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.