Bolsas de NY recuperam-se das perdas e abrem em alta

As bolsas norte-americanas abriram em alta, recuperando-se das perdas de ontem, quando o mercado foi pego de surpresa, próximo ao fechamento, pelas declarações da âncora da rede de TV CNBC, Maria Bartiromo. Segundo ela, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, disse durante um jantar que não quis tranqüilizar os mercados com suas declarações ao Congresso na quinta-feira da semana passada, mas criar flexibilidade para o Fed. O índice Dow Jones e Nasdaq terminaram a sessão em baixa de 0,21% e 0,77%, respectivamente. Os futuros abriram sustentados, devolvendo as perdas de ontem, com investidores na expectativa da divulgação dos números sobre as vendas das montadoras. A queda de 8,1% no número de anúncios de demissões em abril em relação ao mês anterior também animou os investidores. O mercado era beneficiado também pelo balanço da blue chip (ação de maior peso) Verizon. O petróleo, no entanto, pode fazer o contraponto. A commodity opera sustentada nesta manhã, com o contrato de junho próximo a US$ 74,00 o barril na Nymex. Às 10h36 (de Brasília), o futuro Nasdaq-100 subia 0,35%, o S&P 500 avançava 0,45%, e o Dow Jones, +0,27%. O contrato de junho do petróleo subia 0,31% para US$ 73,93 o barril. No pré-mercado, as ações da Verizon subiram US$ 0,31 para US$ 33,10, depois de informar que seu lucro ajustado no primeiro trimestre ficou US$ 0,01 acima do previsto. Os papéis da fabricante de autopeças Visteon somaram até 30% de valorização, com divulgação de reversão de prejuízo para lucro no primeiro trimestre, em conseqüência de um programa implantado, pelo qual o controle de um grupo de fábricas foi devolvido para a Ford. As informações são das agências internacionais e Dow Jones.

Agencia Estado,

02 de maio de 2006 | 10h42

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.