Bolsas de NY reduzem alta com dados de imóveis

As bolsas norte-americanas reduziram os sólidos ganhos registrados após a abertura do pregão, com o anúncio do Departamento do Comércio de que as vendas de imóveis residenciais novos caíram para um nível recorde de baixa em janeiro. O depoimento do presidente do Fed, Ben Bernanke, também é bastante analisado. Por enquanto, as declarações do presidente do Fed tiveram maior impacto no mercado de câmbio, onde o dólar cedeu e o euro subiu com sua declaração de que a economia ainda precisa de taxas de juro ultra baixas. O euro já encontra-se, entretanto, abaixo das máximas.

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

24 de fevereiro de 2010 | 13h04

 

Às 12h34 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,41% e o S&P 500 avançava 0,33%; o Nasdaq ganhava 0,59%. O euro subia para US$ 1,3573, acima de US$ 1,3496 no final da tarde de ontem, mas abaixo da máxima intraday de US$ 1,3598; o dólar caía para 89,88 ienes, abaixo de ontem a 90,18 ienes.

 

Os investidores estavam ansiosos para ver se Bernanke sinalizaria intenção de elevar as taxas dos Federal Funds, na esteira da inesperada elevação na semana passada da taxa do redesconto. Além de comentar a necessidade de taxas reduzidas da economia, Bernanke reiterou, no depoimento escrito à Câmara, que a elevação da taxa do redesconto não indica mudança na política monetária. O mercado busca também por dicas sobre como o Fed pretende dar prosseguimento à política de retirada dos estímulos de liquidez concedidos durante a crise.

 

Agora, os investidores ficam de olho na sessão de perguntas e respostas, que pode esclarecer ou trazer novas declarações.

 

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUA, ações, NY, Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.