Bolsas de NY sobem após indicadores econômicos bons

As bolsas de Nova York fecharam em alta, com o índice S&P 500 em um novo recorde, impulsionadas por indicadores bons sobre a economia dos EUA e pelo prosseguimento da recuperação das ações de empresas de baixa capitalização. O volume de negócios foi relativamente pequeno e a volatilidade do mercado ficou perto da mínima em 14 meses. Essa foi a quarta sessão seguida de alta nos índices acionários norte-americanos.

Agencia Estado

27 de maio de 2014 | 18h29

Dow Jones fechou em alta de 69,23 pontos (0,42%), aos 16.675,50 pontos; Nasdaq avançou 51,26 pontos (1,22%) e terminou o dia na máxima, aos 4.237,07 pontos; enquanto o S&P 500 ganhou 11,38 pontos (0,60%) e atingiu o 12º fechamento recorde deste ano, aos 1.911,91 pontos. Durante a negociação o S&P 500 também alcançou a máxima histórica de 1.912,28 pontos. O índice Russell 2000 de ações de baixa capitalização, que teve desempenho abaixo do mercado nos últimos meses, avançou 1,3%. Desde 15 de maio o índice subiu 4%.

Indicadores econômicos ajudaram a dar o tom positivo das bolsa hoje. As encomendas de bens duráveis nos EUA subiram 0,8% em abril, contrariando a estimativa dos economistas de queda de 0,7%. Além disso, o índice de confiança do consumidor medido pelo Conference Board avançou para 83 em maio, em linha com as previsões.

"Estamos nesse lento caminho de alta", comentou Chris Gaffney, estrategista do EverBank Wealth Management. "As notícias corporativas têm sido boas e a economia está melhorando lentamente", disse.

Entre as ações em destaque na sessão de hoje, Hillshire Brands disparou 22% depois de receber da Pilgrim''s Pride uma oferta de compra de US$ 5,5 bilhões, apenas duas semanas depois de a Hillshire ter concordado em comprar a Pinnacle Foods por US$ 4,3 bilhões. A Pilgrim''s Pride subiu 1,7%, enquanto a Pinnacle caiu 5,4%.

Enquanto isso, a Pfizer, que integra o índice Dow Jones, teve alta de 0,4%, um dia depois de retirar sua proposta pela britânica AstraZeneca, que recusou a última oferta de compra feita pela empresa norte-americana, de US$ 120 bilhões. Os papéis da AstraZeneca negociados em Nova York caíram 0,3%.

O Bank of America fechou com alta de 3,4% após informar que reapresentou um novo plano de capital para o Federal Reserve. O banco foi forçado a suspender seu plano anterior de devolver capital para os acionistas em seguida à descoberta de um erro avaliado em US$ 4 bilhões. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.