Bolsas de NY sobem com balanços e dividendos da GE

Índice S&P-500 fechou acima dos 1.100 pontos pela primeira vez desde 22/6

Renato Martins, da Agência Estado,

23 de julho de 2010 | 18h07

O mercado norte-americano de ações fechou em alta, com o índice S&P-500 fechando acima dos 1.100 pontos pela primeira vez desde 22 de junho. Operadores disseram que os investidores deixaram de lado os resultados dos testes de estresse dos bancos europeus, depois de nenhuma notícia dramática ter aparecido ali, e focalizaram suas atenções em informes de resultados de empresas como Verizon Communications e American Express. O anúncio da elevação dos dividendos da General Electric e a notícia de uma oferta da francesa Sanofi-Aventis pela Genzyme levou o mercado a acelerar sua alta à tarde.

Sobre o resultado dos testes de estresse dos bancos europeus, o estrategista Joseph Battipaglia, da Stifel Nicolaus, disse que "o mercado aqui tomou isso com algo que já passou. Não há mais risco, porque o teste está concluído e qualquer surpresa que poderia ter aparecido já está fora da mesa".

As ações da General Electric subiram 3,29%, depois de a empresa anunciar um aumento de 20% nos dividendos do trimestre. Entre as ações que divulgaram resultados nesta sexta, os destaques foram Verizon Communications (+3,78%), McDonald''s (-2,10%) e Ford (+5,21%). As ações da Microsoft, que havia divulgado resultados ontem depois do fechamento, recuaram 0,12%; as da American Express subiram 3,70% e as da Amazon.com caíram 1%.

O índice Dow Jones fechou em alta de 102,32 pontos (0,99%), em 10.424,62 pontos. O Nasdaq fechou em alta de 23,58 pontos (1,05%), em 2.269,47 pontos. O S&P-500 fechou em alta de 8,99 pontos (0,82%), em 1.102,66 pontos. Na semana, o Dow acumulou uma alta de 3,24%, o Nasdaq, um avanço de 4,15% e o S&P-500, um ganho de 3,55%.

Apenas sete dos 91 bancos europeus submetidos aos testes de estresse fracassaram, o que dá algum conforto aos investidores quanto à saúde do sistema bancário da zona do euro; em dia de alta do mercado de ações, a demanda por ativos de menor risco se reduziu. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.