Bolsas de NY sobem em dia de euforia no exterior

Acordo fechado entre os líderes da União Europeia  para resolver a crise da dívida no continente animou investidores

Luciana Antonello Xavier, correspondente,

27 de outubro de 2011 | 11h51

As Bolsas de Nova York abriram em alta e eufóricas com o acordo fechado entre os líderes da União Europeia (UE) para resolver a crise da dívida no continente. Nos Estados Unidos, foram divulgados dados do Produto Interno Bruto (PIB) e de pedidos de auxílio-desemprego levemente abaixo do esperado, mas, ainda assim, sinalizam que a economia do país pode escapar da recessão. Perto das 11h50 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 1,99%, o Nasdaq ganhava 2,40%, e o S&P 500 tinha alta de 2,43%.

A economia dos EUA cresceu 2,5% no terceiro trimestre deste ano, o melhor desempenho em um ano, mas abaixo da estimativa de alta de 2,7%. O índice de preços para gastos com consumo pessoal desacelerou, com alta de 2,4% no terceiro trimestre deste ano ante aumento de 3,3% no trimestre anterior. Já o número de pedidos de auxílio-desemprego caiu 2 mil, para 402 mil, na semana passada, menos do que a queda de 3 mil solicitações.

Após uma maratona de negociações, a UE e os bancos europeus fecharam acordo para um calote parcial do pagamento da dívida grega, estimado em 100 bilhões de euros. Os bancos perderão 50% desse total. Por outro lado, a Grécia receberá um socorro de mais 130 bilhões de euros. Além disso, o acordo prevê a expansão da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) com garantias de até 1,3 trilhão de euros de bônus emitidos por países como Espanha e Itália. Outro ponto do pacote é que os países concordaram em exigir que os bancos da zona do euro aumentem a taxa do capital principal para 9% até junho de 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEUANova YorkEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.