Bolsas de NY sobem, mas esperam declaração do Fed

As bolsas norte-americanas abriram em queda nesta terça-feira (Dow Jones -0,07%, Nasdaq -0,11% e S&P 500-0,18%), apesar dos ganhos da Goldman no pré mercado. Porém logo em seguida os índices já inverteram os sinais e passaram a subir, apenas o S&P 500 continuava em baixa, 0,18%, (Dow Jones +0,11%, Nasdaq +0,06%). Ontem, as ações da Lehman Brothers subiram antes da sessão regular, na esteira de lucro melhor, mas acabaram fechando em forte queda. Além disso, uma hora e meia após a abertura, o presidente do Fed, Ben Bernanke, voltará a falar e o mercado acionário não deverá arriscar muito antes de seu discurso. O PPI subiu 0,2% em maio, abaixo da previsão de aumento de 0,4%, enquanto seu núcleo subiu 0,3%, acima da estimativa de alta de 0,2%. As vendas no varejo subiram 0,1% em maio, superando a previsão de variação zero. Os números sobre vendas em abril foram revisados em alta. Excluindo autos, as vendas cresceram 0,5% em maio, indicando que a elevação dos preços da gasolina reduziu o interesse dos consumidores por automóveis. No pré mercado, as ações da Goldman Sachs subiram 1%, em reação ao anúncio de que seu lucro mais que dobrou no segundo trimestre, para US$ 2,31 bilhões ou US$ 4,78 por ação, de US$ 865 milhões ou US$ 1,71 por ação no mesmo trimestre de 2005. As receitas subiram para US$ 10,5 bilhões, de US$ 4,81 bilhões em 2005. Analistas esperavam lucro de US$ 4,28 por ação e receita de US$ 8,47 bilhões. As informações são das agências internacionais e Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.