Bolsas de NY sobem; Nokia e Siemens são destaque

As bolsas norte-americanas abriram em alta. Nos primeiros negócios, o índice Dow Jones avançava 0,29% às 10h40 e o Nasdaq contabilizava ganho de 0,26%, com o noticiário corporativo incentivando as compras, diante de uma agenda de indicadores bastante fraca. A Intel e a Procter & Gamble, ambas na cesta Dow Jones, tiveram a recomendação para suas ações elevada. Na Europa, a finlandesa Nokia anunciou a fusão de sua divisão de equipamentos de rede para telecomunicações com as operações da alemã Siemens, em um acordo que irá criar a terceira maior companhia de infra-estrutura em telecomunicações do mundo. O novo grupo tem valor combinado de aproximadamente 20 bilhões de euros (US$ 25,28 bilhões). Segundo a Nokia, até 9 mil empregos poderão ser eliminados nos próximos quatro anos como resultado do acordo. O anúncio da fusão foi divulgado após quatro meses de discussões. As ações da Intel subiram 1,2% e as da P&G ganharam 1,4%. Os ADRs da Nokia avançaram 3,2% e os da Siemens ganharam 8%. No mercado europeu, as ações da Nokia subiram cerca de 4,5% e as da Siemens saltaram 8,8%. A recuperação dos futuros nesta manhã é também considerada técnica, em movimento inverso às pesadas perdas de mais de uma semana. Na quinta-feira, as bolsas subiram forte, ancoradas no discurso mais ameno do presidente do Fed (banco central dos EUA), Ben Bernanke, o qual retirou parte das expectativas de alta no juro também após a reunião do final de junho. Sexta-feira, o mercado cedeu um pouco, mas o Dow Jones terminou a semana com ganho. Nasdaq e S&P 500 fecharam a semana no negativo. Alguns participantes atribuem a recuperação a apostas nos resultados das empresas e de que seus lucros não serão atingidos pelos juros mais elevados. As informações são da Dow Jones e agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.