Bolsas de NY sobem sem euforia com dado de inflação

As Bolsas norte-americanas sobem, mas sem o vigor mostrado ontem. Às 12h32 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,38%, o Nasdaq registrava alta de 0,56% e o S&P 500 ganhava 0,32%. Especialistas ouvidos pelo webiste MarketWatch disseram que o mercado evita precipitar-se, tendo em vista que outros indicadores econômicos serão divulgados até a próxima reunião do Fed, em setembro. De qualquer maneira, a leitura, por enquanto, é positiva em relação ao relatório do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) de julho divulgado hoje de manhã. Mostra que, como previu o presidente do Fed, Ben Bernanke, a desaceleração da atividade econômica conseguirá represar a pressão sobre os preços ao consumidor nos EUA. O núcleo do CPI, que exclui alimentos e energia, subiu 0,2% em julho, abaixo das estimativas de alta de 0,3% e rompendo a tendência dos quatro meses anteriores, em que subiu à taxa de 0,3%, causando preocupação entre os economistas. Mesmo tenho caído em base mensal, a variação anual manteve-se acelerada. Em comparação a julho do ano passado, o núcleo do CPI subiu 2,7%, a maior apreciação desde dezembro de 2001. Por outro lado, a taxa média anualizada em três meses caiu para 3,2%, de 3,6%. Os demais indicadores divulgados - o número de novas construções e a produção industrial - igualmente contribuíram para a tese do Fed, de que a atividade econômica norte-americana perde vigor. No noticiário corporativo, destaque para a Applied Materials e para a mineradora Inco, pela qual a Vale do Rio Doce lançou oferta na semana passada. As ações da Applied Materials caíam 0,83%, devolvendo parte das perdas que chegaram a superar 1%, refletindo preocupações dos investidores com potencial queda no nível de suas encomendas. Ontem, a empresa divulgou aumento de 39% em seu lucro líquido, acima do esperado, beneficiando-se de uma onda de abertura de fábricas e da proliferação do consumo de produtos eletrônicos. A empresa fabrica chips. As ações da Inco operam em baixa de 1,94% em Nova York. A Teck Cominco anunciou que não vai elevar sua oferta de compra pela mineradora canadense Inco, reduzindo, portanto, suas condições de disputa com a Vale. A oferta da Teck Cominco, que já havia sido recusada pela Inco, vence hoje. A saída da Teck Cominco não implica vitória da Vale em sua tentativa de adquirir a empresa canadense. A Inco tem compromisso de sua venda com a Phelps Dodge, o qual só poderá ser rompido caso os acionistas da empresa considerem a oferta da Vale mais adequada. As informações são das agências internacionais e Dow Jones.

Agencia Estado,

16 de agosto de 2006 | 12h35

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.