Bolsas de NY sobem sustentadas por indicadores

As ações operam sustentadas em Nova York, pelas indicações dos números divulgados esta manhã sobre a economia norte-americana de crescimento menor e possível redução na pressão inflacionária. O índice de atividade industrial do Instituto para Gestão da Oferta (ISM) caiu para 54,4 em maio, de 57,3 em abril. Os economistas esperavam queda mais suave do índice, para 55,5. Os gastos com construção caíram 0,1% em abril, abaixo da estimativa de variação zero. O custo da mão-de-obra foi revisado para alta de 1,6% no primeiro trimestre, abaixo das estimativas de revisão de aumento de 1,8%. Na avaliação preliminar, o custo havia subido 2,5%. A produtividade foi revisada em alta para crescimento de 3,7% no primeiro trimestre, de 3,2% no cálculo anterior, mas abaixo das estimativas de revisão para aumento de 3,9%. Às 13h23 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,35% e o Nasdaq avançava 0,71%. As maiores varejistas divulgaram os níveis de vendas em maio, com muitas redes mostrando aumento relevante nas vendas, como J.C. Penney e Nordstrom. Mesmo assim, muitas redes alertaram que o aumento nos preços da gasolina está prejudicando o consumo. O índice Thomson Financial de vendas em lojas abertas há mais de um ano subiu 4,4% em maio, acima da estimativa de alta de 3,8%. As montadoras também divulgam suas vendas. A Ford disse que as vendas de automóveis caíram 1,9% em maio; as vendas da Crysler cederam 11%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

01 de junho de 2006 | 13h34

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.