Bolsas de NY têm forte baixa, em mais um dia de correção

Os índices Dow Jones e Nasdaq abriram em queda expressiva hoje e as bolsas norte-americanas devem ter mais um dia de correção, seguindo o comportamento dos mercados asiáticos, onde a Bolsa da China voltou a registrar perdas de quase 3%. Às 11h48, o Dow Jones caía 1,42%. O Nasdaq cedia 2,14% no mesmo horário. Os números divulgados mais cedo, sobre gastos e renda dos norte-americanos, trouxeram certo alívio aos futuros de Nova York, sugerindo sustentação da economia norte-americana, mas, de acordo com as agências de notícias internacionais, os dados relativos ao índice de preços PCE incomodaram. Alguns operadores notam também certa preocupação no mercado de ações com o desmonte das operações de arbitragem em ienes (que tiram proveito dos diferenciais de juros e câmbio), que ocorre hoje desde o começo do dia. "Acredito que no topo da ansiedade e do nervosismo que vemos nos mercados, um dos fatores é o desmonte das operações em ienes que vêm sendo construídas nos últimos anos", disse um especialista. Os investidores aguardam os demais indicadores previstos para o dia nos Estados Unidos para definir melhor a direção do mercado. Observam também o comportamento das bolsas européias, onde as perdas têm sido expressivas desde a terça-feira. Hoje, investidores citaram a revisão de resultado do SunTrust Banks, maior fornecedora de crédito imobiliário do tipo "subprime" (a clientes de maior risco, com taxas maiores) para justificar parte da queda das bolsas européias. A instituição revisou para US$ 498,6 milhões ou US$ 1,39 por ação seu lucro do quarto trimestre, de US$ 523,6 milhões ou US$ 1,46 por ação divulgado anteriormente. A SunTrust disse que o ajuste foi feito em conseqüência de um grande empréstimo comercial que havia sido registrado anteriormente e que acabou "não realizado". As informações são da Dow Jones e agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.