Bolsas de NY têm leve alta com informes e dados mistos

Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam em alta, mas sem ganhos expressivos, diante da divulgação de indicadores e de balanços corporativos mistos ao longo da sessão. Os papéis de empresas de tecnologia, no entanto, receberam um impulso de última hora, após a Microsoft divulgar minutos antes do fechamento do pregão um resultado mais forte que o esperado para o segundo trimestre fiscal.

GUSTAVO NICOLETTA, Agencia Estado

27 de janeiro de 2011 | 20h05

A companhia informou que teve um lucro líquido de US$ 6,63 bilhões (US$ 0,77 por ação) durante o período, após um lucro de US$ 6,66 bilhões no mesmo período do ano anterior (US$ 0,74 por ação). A receita alcançou US$ 19,95 bilhões no trimestre outubro/dezembro de 2010, com crescimento de 4,9% em relação a um ano antes. As ações da Microsoft fecharam em alta de 0,28%.

O Dow Jones subiu 4,39 pontos, ou 0,04%, para 11.989,83 pontos. O Nasdaq avançou 15,78 pontos, ou 0,58%, para 2.755,28 pontos. O S&P 500 teve ganho de 2,91 pontos, ou 0,22%, para 1.299,54 pontos.

Os índices operaram dentro de um intervalo apertado diante de dados "particularmente contraditórios" que deixaram os investidores em dúvida sobre o ritmo de recuperação da economia dos EUA, disse David Katz, diretor e estrategista de portfólio da WeiserMazars. Ele acrescentou que a divulgação de uma leitura melhor que a esperada no indicador sobre vendas pendentes de imóveis residenciais e de um aumento no número de pedidos de auxílio-desemprego trouxeram incerteza ao prognóstico econômico.

Segundo o Departamento do Trabalho dos EUA, o número de pedidos de auxílio-desemprego cresceu 51 mil na semana até 22 de janeiro, para 454 mil - o maior patamar desde outubro de 2010 -, enquanto economistas esperavam um aumento de mil solicitações. Apesar disso, o número de pessoas que assinaram contratos para comprar casas usadas nos EUA subiu 2% em dezembro na comparação com o mês anterior, segundo a Associação Nacional dos Corretores de Imóveis. O dado ficou acima da estimativa dos economistas consultados pela Dow Jones, que previam alta de 1,1%.

Outros indicadores mostraram que as encomendas de bens duráveis nos EUA caíram 2,5% em dezembro, contrariando as expectativas de aumento de 1,4%, e que o índice de produção industrial da região do Federal Reserve de Kansas City caiu para 11, de 21 em dezembro.

"A recuperação ainda é tênue", disse Tim Evnin, gerente de carteiras de investimento da Evercore Wealth Management. "Está melhorando, mas é desigual e não está certamente em uma trajetória de alta", acrescentou. Segundo ele, os balanços mostram a mesma "recuperação seletiva". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaqações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.