Bolsas de NY tendem a abrir sem direção única

Os índices futuros das bolsas norte-americanas mostram volatilidade desde o começo da manhã desta quinta-feira, 12, e os últimos dados de pedidos de auxílio-desemprego dos Estados Unidos, que excluíram informações de dois Estados, não ajudaram a dar direção aos mercados, sugerindo uma abertura incerta nos negócios à vista hoje. Por volta das 10h15 (pelo horário de Brasília), no mercado futuro, o índice Dow Jones tinha ligeira alta de 0,03% e o Nasdaq subia 0,13%, enquanto o S&P 500 recuava 0,07%.

Agencia Estado

12 de setembro de 2013 | 10h53

Segundo o Departamento de Trabalho, o número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 31 mil na semana passada, para 292 mil. O resultado ficou abaixo da previsão dos analistas, de 330 mil, mas não é muito preciso porque exclui os dados de dois Estados do país, que não foram identificados.

Investidores vêm acompanhando de perto o desempenho do mercado de trabalho norte-americano antes da reunião de política monetária do Federal Reserve nos próximos dias 17 e 18. O Fed, como é conhecido o banco central dos EUA, vai decidir se começa ou não a retirar a política de estímulos que vem implementando nos últimos anos.

Para John Sawyer, chefe de investimentos do BBVA Compass, o mercado não deverá ter uma reação muito intensa se o Fed decidir reduzir suas compras mensais de bônus porque os investidores já vêm se preparando para essa possibilidade.

Também saiu nesta quinta-feira, 12, o índice de preços das importações dos EUA, que ficou estável em agosto, ante uma previsão de alta de 0,5%. Mais tarde, às 15h (de Brasília), o Tesouro divulga o resultado das contas do governo no mês passado.

Já a diminuição das tensões em relação à Síria tende a favorecer as transações em Wall Street. Hoje, o Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, se reúne em Genebra com o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, para discutir uma proposta de Moscou para colocar o arsenal sírio de armas químicas sob controle internacional. As negociações podem evitar uma eventual ofensiva militar dos EUA contra alvos do governo sírio.

No noticiário corporativo, a Apple subia 0,6% no pré-mercado no horário acima, após acumular perdas de 7,6% nos dois últimos pregões diante da decepção com o lançamento recente de dois novos modelos do iPhone. O investidor bilionário Carl Icahn disse ontem à CNBC, no entanto, que aumentou sua posição na Apple porque acha que a ação da empresa está extremamente barata. Já a Advanced Micro Devices (AMD) caía 1,83% após a notícia de que o fabricante de semicondutores vai migrar do índice S&P 500 para o S&P MidCap 400. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresNY

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.