Bolsas de NY terminam em queda com alta do petróleo

O mercado norte-americano de ações fechou em queda, devolvendo parte dos ganhos da última sexta-feira. O dia foi marcado por alta forte dos preços do petróleo, novos ataques aéreos de Israel no Líbano, declarações de dois dirigentes do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) e informes de resultados de empresas. "Tivemos correntes cruzadas, incluindo sinais conflitantes nas declarações de dois dirigentes do Fed e informes de resultados variados. Além disso, tivemos mais uma alta superior a 1% nos preços do petróleo. Como resultado, ficamos presos em faixas estreitas, sem subir muito, nem cair muito", comentou Jeff Applegate, da Fiduciary Global Advisors. As ações da indústria de cosméticos Avon Products caíram 12%, em reação a seu informe de resultados; as da indústria de implementos agrícolas Agco, que também divulgou resultados, recuaram 11%. Entre as componentes do índice Dow Jones, as ações da Exxon Mobil subiram 1,10%, em reação à alta dos preços do petróleo e a uma elevação de recomendação pelos analistas do JP Morgan. As da Wal-Mart subiram 0,09%, depois de a empresa divulgar os dados de vendas em julho. As ações da ConAgra Foods caíram 1,1%, após a empresa anunciar a venda de sua unidade de carnes refrigeradas para a Smithfield Foods por US$ 575 milhões. No setor de tecnologia, as ações da Rambus subiram 13%, depois de recomendação dos analistas da BWS Securities; as da Apple Computer avançaram 3,6%, em reação a uma elevação de recomendação pela Banc of America Equity Research. Entre as empresas que divulgam resultados amanhã, os destaques são Archer-Daniels Midland, Burger King, Celanese, Eastman Kodak, EDS, Emerson Electric, International Paper, Molson Coors Brewing, Qwest Communications, Sirius Satellite Radio, Time Warner Telecom, Valero Energy e Verizon Communications. O índice Dow Jones fechou em queda de 34,02 pontos (0,30%), em 11.185,68 pontos. A mínima foi em 11.178,32 pontos e a máxima em 11.219,06 pontos. O Nasdaq fechou em queda de 2,67 pontos (0,13%), em 2.091,47 pontos, com mínima em 2.082,62 pontos e máxima em 2.098,24 pontos. O Standard & Poor's-500 recuou 1,89 ponto (0,15%), para 1.276,66 pontos. O NYSE Composite perdeu 12,86 pontos (0,16%) e fechou em 8.242,12 pontos. O volume negociado na NYSE ficou em 1,624 bilhão de ações, de 1,965 bilhão na sexta-feira; 1.640 ações subiram, 1.666 caíram e 161 fecharam nos mesmos níveis da sexta-feira. No Nasdaq, o volume ficou em 1,623 bilhão de ações negociadas, de 1,850 bilhão na sexta-feira, com 1.583 ações fechando em alta e 1.444 em queda. No mês de julho, o Dow Jones acumulou alta de 0,32% (depois de dois meses consecutivos de baixas); o Nasdaq acumulou queda de 3,71% (quarto mês consecutivo de quedas); e o S&P-500 acumulou alta de 0,51% (tendo subido em seis dos primeiros sete meses do ano). Desde o começo do ano, o Dow Jones acumula alta de 4,37%, o Nasdaq, queda de 5,16% e o S&P-500, alta de 2,27%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.