Bolsas dos EUA abrem em direções opostas

O mercado acionário dos Estados Unidos abriu em direções opostas nesta terça-feira, com o índice Dow Jones recuando 0,09%; o Nasdaq subindo 0,73% e o S&P, +0,20%. Porém, logo em seguida o Dow Jones inverteu o sinal e passou a registrar ganho de 0,45% (10h36 de Brasília); o Nasdaq reforçando a alta em 1,12% e o S&P 500 em +0,75%. Os investidores avaliam a queda recente dos ativos de renda variável nos Estados Unidos, que colocou os preços em níveis atrativos frente às projeções de crescimento de lucro das companhias. As ações da Toll Brothers, construtora de condomínios de luxo, devem se movimentar ativamente na sessão. A empresa cortou sua projeção de lucro para 2006, após anunciar aumento de 3% no lucro do segundo trimestre fiscal, para US$ 174,9 milhões, ou US$ 1,06 por ação. O lucro por ação superou as projeções em três centavos. Citando os custos mais elevados com matérias-primas e mão-de-obra, além de baixas contábeis, a companhia previu lucro de US$ 4,69 a US$ 5,16 por ação, de uma projeção anterior de US$ 4,77 a US$ 5,26 para o ano. No pré-mercado, as ações da empresa subiam 2,97%, com os investidores optando por saudar o lucro acima do esperado no segundo trimestre. As ações da NYSE Group subiam 0,6%, após a Euronext, operadora da bolsa européia, ter ficado mais inclinada a aceitar a tentativa de compra apresentada pela NYSE. Acionistas da Euronext votaram contra uma moção sugerindo a fusão com a Deutsche Boerse. A Euronext opera bolsas como as de Paris e Amsterdã. As ações da Alcoa devem se recuperar da queda de ontem. No pré-mercado, a gigante de alumínio subia 0,64%. Os papéis de tecnologia, por sua vez, devem se beneficiar das projeções da fabricante holandesa de semicondutores ASML, que elevou a sua perspectiva de encomendas registradas para o segundo trimestre de 2006, citando a demanda robusta por máquinas de seus clientes. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.