Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bolsas dos EUA abrem estáveis mas indicam dia de alta

As bolsas americanas abriram perto da estabilidade nesta manhã, mas devem apontar alta, devido aos dados sobre a economia dos EUA. O Índice Dow Jones começou o dia em alta de 0,01% e a bolsa eletrônica Nasdaq registrou baixa de 0,01%. Contrariando as apostas da semana passada, os mercados especulam agora com potencial menor de pressão inflacionária, o que deve favorecer o início dos negócios com ações em Nova York. O índice de preços ao produtor (PPI) de abril ficou em linha com o previsto e o núcleo veio abaixo do esperado. Esses dados alimentaram a alta nos mercados futuros de Nova York - e forte queda no juro dos títulos norte-americanos (Treasuries). O movimento é gerado pela a avaliação de que os preços podem continuar controlados nos EUA. A sensação foi corroborada ainda pela queda de 7,4% no número de obras de imóveis residenciais iniciadas em abril, a maior desde março de 2005, bem acima da expectativa de retração de 0,1%. O número de obras iniciadas vem caindo forte desde fevereiro. Mas as apostas nesse sentido - de risco inflacionário menor - não devem ir muito longe. Afinal, ainda hoje, mais tarde, o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, estará em público, falando sobre os fundos hedge e risco sistêmico. Ainda, amanhã, será divulgado o indicador mais popular de inflação, o CPI, de abril. As commodities, cuja queda ontem trouxe alívio aos temores de inflação das bolsas norte-americanas, ensaiam alta nesta manhã. O ouro para junho negociado na Comex sobe 0,51%, enquanto a prata avança 1,56%. O cobre para julho opera em alta de 0,07%. Às 10h15 (de Brasília), quando os negócios são interrompidos para a sessão regular, o futuro Nasdaq-100 subia 0,29% e o S&P 500 avançava 0,20%. O noticiário corporativo centra-se nas varejistas Wal-Mart e Home Depot, que estão na cesta de ações do índice Dow Jones. No pré-mercado, as ações da Wal-Mart subiram 0,17%, em reação à divulgação de lucro e receitas acima do previsto no primeiro trimestre. A companhia afirmou que obteve lucro de US$ 2,62 bilhões ou US$ 0,63 por ação no primeiro trimestre, acima da previsão dos economistas de US$ 0,61 por ação. Os papéis da Home Depot caíram 1,1% no pré-mercado, depois de informar vendas no primeiro trimestre de US$ 21,5 bilhões, abaixo dos US$ 21,63 bilhões previstos. O lucro de US$ 1,48 bilhão ou US$ 0,70 por ação superou a estimativa de US$ 0,67 por ação.

Agencia Estado,

16 de maio de 2006 | 10h35

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.