Bolsas dos EUA fecham em alta após sessão volátil

Após uma sessão muito volátil, as bolsas de Nova York fecharam em alta nesta terça-feira, 15, com os investidores avaliando as tensões na Ucrânia e balanços positivos que saíram no início do dia.

STEFÂNIA AKEL, Agencia Estado

15 de abril de 2014 | 18h13

O índice Dow Jones fechou em alta de 89,32 pontos (0,55%), aos 16.262,56 pontos. O S&P 500 avançou 12,37 pontos (0,68%), para 1.842,98 pontos. E o Nasdaq encerrou com ganho de 11,47 pontos (0,29%), aos 4.034,16 pontos.

As ações avançaram no início da sessão após resultados corporativos animadores. A Coca-Cola anunciou que teve lucro líquido de US$ 1,62 bilhão no primeiro trimestre deste ano, menor que o ganho de US$ 1,75 bilhão registrado em igual período de 2013, mas a receita ficou acima do esperado em US$ 10,58 bilhões. Já o lucro líquido da Johnson & Johnson apresentou aumento de 35% no primeiro trimestre, em base anual, liderado pelo contínuo crescimento das vendas no setor farmacêutico da unidade de cuidados de saúde.

Na sequência, porém, os índices acionários migraram para o terreno negativo com relatos de que forças russas foram vistas na Ucrânia e que tropas ucranianas invadiram um aeroporto controlado por militantes favoráveis à Rússia.

Os indicadores divulgados hoje também contribuíram para o mau humor momentâneo na sessão desta terça. O índice de atividade industrial Empire State, calculado pelo Fed de Nova York, caiu para 1,29 em abril, de 5,61 em março, contrariando previsão de alta a 8,0, enquanto o índice de confiança das construtoras subiu para 47 em abril, de 46 em março, mas ficou aquém da projeção de uma leitura de 50.

Por outro lado, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do país subiu 0,2% em março ante fevereiro, acima do acréscimo de 0,1% estimada por analistas. A inflação anual avançou para 1,5%, de 1,1%, se aproximando mais da meta do Fed, de uma taxa de 2,0%.

Após oscilarem durante a tarde, as bolsas se firmaram no azul no fim da sessão. A volatilidade vista hoje está em linha com o movimento das últimas semanas, disse Paul Nolte, gestor de portfólio da Kingsview Asset Management. "Temos visto muitas oscilações e isso é um sinal da indecisão do investidor sobre tudo", afirmou.

Na Europa, as preocupações com a Ucrânia pesaram mais e o mercado de ações fechou em baixa. Outro fator negativo foi a China, que voltou a emitir sinais de desaceleração. A Bolsa de Londres encerrou com queda de 0,64%, Frankfurt perdeu 1,77% e Milão recuou 2,33%, fechando na mínima da sessão. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.