Bolsas dos EUA fecham em alta; Nasdaq é exceção

 Empréstimo do BCE a bancos da zona do euro ajuda mercado de ação americano

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

21 de dezembro de 2011 | 20h24

 Após passarem quase toda a sessão em baixa, os principais índices do mercado de ações dos EUA viraram e fecharam em alta, em sua maioria, com exceção do Nasdaq, que caiu depois de a Oracle ter divulgado ontem um balanço que decepcionou os investidores e lançou uma perspectiva sombria sobre as empresas de tecnologia. 

Hoje, o Banco Central Europeu (BCE) divulgou que emprestou 489,19 bilhões de euros aos bancos da zona do euro que recorreram a uma linha de financiamento de três anos oferecida pela instituição. O volume ficou acima do esperado por analistas, o que despertou a cautela do mercado. "Ainda estamos evitando o problema real", disse Kim Caughey Forrest, gerente de portfólios do Fort Pitt Capital Group. "O fato é que isso não é bom para o crescimento, Simplesmente evitará uma calamidade."

O Dow Jones subiu 4,16 pontos, ou 0,03%, para 12.107,74 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 2,42 pontos, ou 0,19%, para 1.243,72 pontos. O Nasdaq caiu 25,76 pontos, ou 0,99%, para 2.577,97 pontos. 

As ações do setor de tecnologia registraram queda depois de a Oracle ter divulgado ontem um lucro e uma receita para o segundo trimestre fiscal que ficaram aquém das expectativas do mercado. A companhia fechou em baixa de 12% hoje. A International Business Machines (IBM) caiu 3,1%, enquanto a Cisco Systems recuou 2,6% e a Hewlett-Packard teve declínio de 1,8%. Os papéis que tiveram alta mais significativa pertencem ao chamado setor defensivo, menos exposto às oscilações da economia e a uma eventual nova crise. A Coca-Cola subiu 1,7%, a Kraft Foods avançou 1,2% e a Pfizer teve ganho de 1%.

Entre outros destaques da sessão, o Yahoo subiu 5,8% em meio a rumores de que a companhia estaria discutindo a possibilidade de reduzir sua participação no site chinês Alibaba para 15%. O Bank of America avançou 1,2% depois de chegar a um acordo com mutuários que tiveram de pagar tarifas mais altas do que deveriam para tomar empréstimos.

O Delphi Financial Group teve ganho de 73% depois de a japonesa Tokio Marine Holdings ter concordado em comprar a companhia por US$ 2,66 bilhões. A Nike avançou 2,9% depois de ter divulgado ontem um resultado mais forte do que o esperado por analistas.

A Research In Motion fechou em alta de 10% em meio a rumores de que estaria prestes a receber uma proposta de compra de empresas como a Microsoft, a Nokia e a Amazon.com. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.