Bolsas em NY perdem sob nervosismo com cúpula da UE

Pressão veio dos balanços corporativos mistos divulgados ao longo do dia   

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

25 de outubro de 2011 | 19h25

Os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos fecharam em baixa, pressionados por balanços corporativos mistos divulgados ao longo do dia e por expectativas cada vez menores de que as autoridades europeias efetivamente chegarão a um consenso sobre qual a melhor forma para resolver a crise das dívidas soberanas da região.

"As pessoas não sabem o que pensar", disse Barry James, presidente da James Advantage Funds. "Elas estão paradas no lugar. Não sabem o que acontecerá politicamente, fiscalmente ou monetariamente."

Amanhã acontecerá a segunda das duas cúpulas da União Europeia previstas para esta semana. Os investidores aguardam o desfecho do encontro com ansiedade, visto que na última quinta-feira o presidente da França, Nicolas Sarkozy, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, assumiram o compromisso de apresentar um plano anticrise abrangente após a reunião.

Hoje, no entanto, surgiram sinais de que talvez seja necessário mais tempo para consolidar uma estratégia que recapitalize os bancos, aumente o poder de fogo da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) e reestruture a dívida da Grécia. O principal sinal foi o adiamento de um encontro dos ministros de Finanças da União Europeia que antecederia a cúpula do bloco na quarta-feira.

"Estamos realmente num ponto crítico para o mercado", disse Linda Duessel, estrategista do mercado de ações da Federated Investors. "As pessoas estão começando a perceber que a Europa não vai apresentar uma poção mágica" para resolver seus problemas.

O Dow Jones caiu 207,00 pontos, ou 1,74%, para 11.706,62 pontos. O Nasdaq perdeu 61,02 pontos, ou 2,26%, para 2.638,42 pontos, enquanto o S&P 500 teve declínio de 25,14 pontos, ou 2,00%, para 1.229,05 pontos.

Entre os destaques da sessão, as ações da 3M caíram 6,25% depois de a companhia anunciar que seu lucro encolheu 1,6% no terceiro trimestre em comparação a um ano antes. A 3M também reduziu sua previsão para os resultados de 2011, afirmando que alguns de seus clientes diminuíram os estoques por esperarem uma redução na demanda.

A DuPont divulgou que seu lucro aumentou 23% no terceiro trimestre, mas ainda assim os papéis da companhia recuaram 2,50%. A Amazon.com caiu 4,40% no pregão regular e perdia 14,70% no after hour depois de divulgar um declínio superior a 70% em seu lucro do terceiro trimestre.

A Netflix, que registrou o cancelamento de 800 mil assinaturas no terceiro trimestre, fechou em baixa de 34,90%. A United Parcel Service (UPS) apresentou um lucro levemente maior que o previsto para o período, mas perdeu 2,14%. A Texas Instruments também superou as expectativas do mercado em termos de resultados, mas apresentou uma previsão decepcionante para o quarto trimestre e recuou 2,27%.

Dados divulgados hoje mostraram que os preços das moradias nos EUA aumentaram levemente em agosto na comparação com o mês anterior por causa de fatores sazonais. A confiança do consumidor, no entanto, diminuiu em outubro.

No mercado de Treasuries, os preços subiram, com respectivo movimento inverso dos juros. "O rali de hoje certamente é uma reação aos dados fracos sobre a confiança do consumidor e ao caos na Europa", disse Paul Montaquila, operador de renda fixa do Bank of the West, que gerencia US$ 60 bilhões em ativos. "Os Treasuries estão usando as manchetes para subir."

No final da tarde em Nova York, o juro projetado pelos T-bonds de 30 anos estava em 3,133%, de 3,273% na segunda-feira; o juro das T-notes de 10 anos estava em 2,112%, de 2,235%; o juro das T-notes de 2 anos estava em 0,250%, de 0,287%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasNova YorkUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.