Bolsas europeias acumulam ganhos em fevereiro

Índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 2,37 pontos, ou 0,83%, a 286,49 pontos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado ,

28 de fevereiro de 2011 | 15h34

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta, em sua maioria, impulsionados por dados positivos sobre a renda nos EUA e pela redução na volatilidade dos preços do petróleo, que recuaram em relação às máximas atingidas na semana passada, mas continuam elevados por causa das tensões na Líbia.

"Os investidores continuam nervosos em relação à situação no Norte da África e no Oriente Médio e seguem acompanhando de perto os preços do petróleo", disse o analista Angus Campbell, da Capital Spreads.

Segundo dados divulgados pelo Departamento do Trabalho dos EUA, o crescimento nos gastos dos consumidores desacelerou em janeiro para 0,2%, de 0,5% um mês antes, mas o ritmo de expansão da renda pessoal dos norte-americanos subiu para 1,0% no mês passado - o maior ganho desde maio de 2009 -, de 0,4% em dezembro. Economistas ouvidos pela Dow Jones previam alta de 0,4% tanto para o gasto dos consumidores como para a renda pessoal.

Analistas atribuíram parte dos ganhos de hoje ao declínio acumulado pelos índices acionários na semana passada. "É preciso ter em mente que os balanços corporativos da União Europeia foram melhores do que se esperava, tanto em termos de lucros quanto de receita. Isso está oferecendo suporte ao mercado", disse o diretor de negociações Atif Latif, da Guardian Stockbrokers.

O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 2,37 pontos, ou 0,83%, a 286,49 pontos. Em fevereiro, o índice acumulou ganho de 2,30%. Na semana passada, o Stoxx acumulou declínio de aproximadamente 2,4%, seu pior desempenho semanal desde julho de 2010.

O FTSE 100, da Bolsa de Londres, caiu 7,19 pontos, ou 0,12%, para 5.994,01 pontos, mas teve alta de 2,23% no mês. Em Paris, o CAC 40 avançou 39,97 pontos, ou 0,98%, para 4.110,35 pontos. Em fevereiro, o índice subiu 2,62%.

Na Bolsa de Frankfurt, o Xetra Dax fechou em alta de 87,15 pontos, ou 1,21%, para 7.272,32 pontos, acumulando ganho de 2,75% em fevereiro. Em Madri, o IBEX avançou 28,10 pontos, ou 0,26%, para 10.850,80 pontos, subindo 0,41% no mês.

Entre os destaques da sessão, as ações da ARM Holding subiram 1,48% em Londres depois de a holandesa NXP Semiconductors NV divulgar que expandiu um acordo de licenciamento relacionado a microcontroladores da ARM.

A Siemens (+3,64%), a Volkswagen (+2,93%) e a MAN (+2,80%) também estavam entre as empresas que tiveram alta acentuada em seus papéis.

No setor financeiro, as ações do HSBC fecharam em baixa de 4,65% após a instituição anunciar que seu lucro líquido em 2010 mais do que dobrou na comparação com o ano anterior, para US$ 13,16 bilhões. O resultado ficou abaixo das expectativas do mercado.

Os papéis da Associated British Foods caíram 5,89%. A companhia, que é dona da rede de varejo Primark and British Sugar Group, disse que os resultados preliminares do primeiro semestre estão em linha com as expectativas, mas que o lucro operacional da Primark será menor por causa de um aumento no imposto sobre valor agregado e também do avanço nos preços dos insumos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropaaçõesHSBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.