Bolsas europeias acumulam perdas na semana

Hoje, porém, índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 3,56 pontos, ou 1,27%, para 284,12 pontos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado ,

25 de fevereiro de 2011 | 15h34

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta, impulsionados por investidores que voltaram ao mercado para comprar papéis por preços mais baixos, visto que na semana as bolsas acumularam perdas. O fato de o petróleo ter permanecido abaixo de US$ 100 em Nova York também contribuiu para o avanço das bolsas hoje, amenizando a preocupação dos investidores com uma potencial desaceleração na recuperação econômica por causa do aumento no preço dos combustíveis. Nesta semana, os preços do petróleo dispararam em meio a receios com uma potencial interrupção no fornecimento da commodity por parte da Líbia, onde continuam os conflitos violentos entre as forças de segurança e manifestantes contrários ao regime de Muamar Kadafi.

Ontem, no entanto, a Arábia Saudita disse estar preparada para cobrir a escassez de petróleo no mercado caso fosse necessário e esses receios diminuíram, retirando parte do suporte ao valor do barril. "O comentário da Arábia Saudita sobre o aumento de produção caso haja necessidade foi tranquilizador", disse Jonathan Jackson, diretor de ações da Killik & Co. "Ainda existe apetite por ações, então qualquer declínio nos preços pode ser visto como uma oportunidade de compra", acrescentou.

Os receios com a Líbia, no entanto, ainda seguem fortes. O país exporta boa parte de sua produção para países europeus como Itália, França e Espanha e, embora em Nova York o preço do petróleo esteja abaixo de US$ 100, o preço do petróleo tipo Brent negociado na plataforma ICE - utilizado como referência para o mercado europeu - segue acima de US$ 111.

O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 3,56 pontos, ou 1,27%, para 284,12 pontos, mas na semana perdeu 2,38%.

Na Bolsa de Londres, as negociações foram interrompidas por algumas horas em razão de problemas técnicos. O FTSE 100 avançou 81,22 pontos, ou 1,37%, para 6.001,20 pontos, mas acumulou declínio de 1,34% na semana. Em Paris, o CAC 40 fechou em alta de 60,74 pontos, ou 1,51%, a 4.070,38 pontos, mas recuou 2,09% na semana.

Na Bolsa de Frankfurt, o Xetra Dax teve ganho de 54,67 pontos, ou 0,77%, para 7.185,17 pontos, mas acumulou queda de 3,25% na semana. Em Madri, o IBEX avançou 175,10 pontos, ou 1,64%, para 10.822,70 pontos, mas perdeu 2,22% na semana.

Entre os destaques da sessão, as ações da Saint Gobain subiram 5,52% depois de a companhia anunciar que seu lucro líquido em 2010 cresceu mais do que cinco vezes, beneficiado por cortes de custos e por um aumento nas vendas.

No setor bancário, o Lloyds Banking Group anunciou que o custo mais alto dos financiamentos deve reduzir as margens de lucro neste ano. As ações da companhia caíram 4,45%. A EADS fechou em baixa de 0,53% depois de ter perdido um contrato multibilionário com o governo dos EUA para a Boeing.

As ações da Volkswagen subiram quase 6,2% depois de a montadora afirmar que seu lucro anual cresceu para 6,84 bilhões de euros em 2010, de 960 milhões de euros um ano antes, impulsionado pela demanda chinesa por automóveis.

No setor aéreo, as ações da International Consolidated Airlines, companhia criada após a fusão da British Airways com a Iberia, fecharam em baixa de 0,8%. Em seu primeiro balanço desde a junção das empresas, o grupo disse que teve um lucro líquido de 90 milhões de euros no quarto trimestre.

Na Espanha, a Telefónica divulgou que seu lucro do quarto trimestre diminuiu 45% na comparação com um ano antes, embora as operações na América Latina tenham apresentado um desempenho acima da média. As ações da companhia subiram 1,56%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropaaçõesLíbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.