Bolsas européias caem com temor sobre EUA

As principais Bolsas européias fecharam em queda. Operadores disseram que o fraco indicador de vendas de imóveis residenciais usados nos Estados Unidos levantou temores quanto ao desempenho da economia norte-americana. As ações de tecnologia estiveram entre as que mais caíram, depois de a National Semiconductor rebaixar sua previsão de vendas, sobretudo por causa da queda na demanda de chips usados em telefones celulares; em Estocolmo, as ações da Nokia caíram 2,26% e as da Ericsson recuaram 2,16%. A Bolsa de Zurique fechou em baixa de 0,02%, apesar da alta de 2,26% das ações da Nestlé, que divulgou resultados. Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em queda de 42,6 pontos (0,72%), em 5.860,0 pontos. As ações da mineradora BHP Billiton caíram 3,98%, embora seu lucro no ano fiscal encerado em 30 de junho tenha ficado em linha com as previsões; outras ações de mineradoras também caíram (em especial Anglo American, que ficou ex-dividendo, com baixa de 3,64%). No setor imobiliário, as ações da Slough Estates caíram 3,71%, em reação a seu informe de resultados. No setor de serviços industriais, as ações da Bramble Industries subiram 4,74%, também em reação a seu informe de resultados. As ações da Cadbury-Schweppes subiram 0,64% e as da Unilever avançaram 0,33%, em reação ao informe de resultados da rival Nestlé. O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em baixa de 45,60 pontos (0,89%), em 5.082,73 pontos. As ações da STMicroelectronics caíram 1,50%, em reação ao alerta de queda nas vendas da National Semiconductor. As da EADS recuaram 2,22%, em reação a informes (negados pela empresa) de atrasos no projeto do avião militar de carga A400M. As ações da Alstom subiram 0,35%, em reação ao informe de que a Bouygues agora controla mais de 24% da empresa. As da Lafarge caíram 1,97%, devolvendo os ganhos de ontem. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em queda de 42,87 pontos (0,74%), em 5.775,54 pontos. As ações do Commerzbank caíram 1,23%, em reação a rumores de que a instituição colocará ações no mercado. As ações da ThyssenKrupp caíram 2,50%, com os investidores migrando para Arcelor-Mittal, em reação a comentários dos analistas do Citigroup. Operadores disseram que nesta quinta-feira o mercado estará atento à pesquisa de confiança na economia alemã do instituto IFO e aos indicadores norte-americanos (encomendas de bens duráveis, pedidos de auxílio-desemprego e vendas de residências novas). O índice S&P-Mib, da Bolsa de Milão, fechou em queda de 298 pontos (0,79%), em 37.283 pontos. As ações da Telecom Itália caíram 1,70%, em reação a informes de que elas deixarão de ser componentes do índice Stoxx-50, cuja composição será revisada em setembro. As da Unipol subiram 2,6%, devido a especulações de que a empresa anunciará um programa de recompra de ações. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em queda de 68,10 pontos (0,56%), em 12.012,70 pontos. As ações do BBVA caíram 1,08%, as da Sacyr Vallehermoso perderam 0,96% e as da Iberdrola recuaram 1,05%, devido à realização de lucros. As do Banesto subiram 0,50% e as da Gas Natural avançaram 0,43%, recuperando terreno depois de quedas recentes. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 0,90 ponto (0,01%), em 9.904,69 pontos. Operadores disseram que o mercado operou "de lado", em dia sem notícias. As ações do Banco Comercial Português subiram 0,42%as da Energias de Portugal avançaram 0,32% e as da Portugal Telecom caíram 0,51%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

23 de agosto de 2006 | 16h43

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.