Bolsas europeias caem pressionadas por setor financeiro

Mercado foi pautado pelo ressurgimento das preocupações com as dívidas soberanas de países da União Europeia, especialmente após a Irlanda ter sua nota de crédito rebaixada pela Moody''s

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

17 de dezembro de 2010 | 16h06

Os principais índices do mercado de ações europeu fecharam em queda, pressionados pelo fraco desempenho dos papéis do setor bancário diante do ressurgimento das preocupações com as dívidas soberanas de países da União Europeia, especialmente após a Irlanda ter seu rating rebaixado pela Moody''s.

"Os receios com as dívidas da zona do euro podem limitar qualquer ganho potencial no próximo ano e os operadores provavelmente vão esperar uma solução que envolva toda a União Europeia antes de pararem de se preocupar com esse assunto", disse Joshua Raymond, do City Index.

Em Bruxelas, os líderes europeus concordaram, após reunião, em emendar o Tratado da União Europeia para permitir a criação de um mecanismo de estabilidade permanente. No entanto, houve pouco progresso em relação a detalhes como a amplitude desse mecanismo. "A cúpula efetivamente não produziu o que alguns esperavam ver", disse Mike Lenhoff, estrategista-chefe da Brewin Dolphin.

"Embora todos (os membros do Conselho Europeu) tenham concordado em relação à importância do mecanismo anticrise, os alemães e provavelmente os franceses estão relutantes em comprometer mais recursos para essa finalidade", acrescentou. Lenhoff disse também que situações de disputa política estimulam os investidores a realizar lucros, mas alertou que tanto em âmbito fiscal quanto monetário, os EUA estão voltados para estimular a economia, o que deve oferecer suporte para a tendência de alta das ações.

O índice pan-europeu Stoxx Europe 600 fechou em baixa de 1,23 ponto, ou 0,44%, a 276,36 pontos. O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, caiu 9,37 pontos, ou 0,16%, para 5.871,75 pontos. Na Bolsa de Paris, o CAC 40 recuou 21,01 pontos, ou 0,54%, para 3.867,35 pontos. O Xetra DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou em baixa de 41,95 pontos, ou 0,60%, para 6.982,45 pontos, enquanto o Ibex 35, da Bolsa de Madri, teve queda de 112,20 pontos, ou 1,12%, para 9.898,10 pontos.

Na semana, porém, a Bolsa de Londres acumulou alta de 1,01% e a de Paris subiu 0,26%. A Bolsa de Frankfurt perdeu 0,34% e a de Madri recuou 2,21%.

O índice ISEQ, da Bolsa de Dublin, fechou em baixa de 13,91 pontos, ou 0,49%, a 2.825,41 pontos, após a agência de classificação de risco Moody''s Investors Service ter rebaixado o rating da Irlanda em cinco graus, para Baa1, de Aa2, mantendo a perspectiva negativa. Segundo a Moody''s, a força financeira do governo irlandês pode se deteriorar em razão de pressões dos debilitados bancos do país ou do crescimento econômico mais lento do que o esperado.

A notícia pesou particularmente sobre o setor bancário. Em Londres, o Royal Bank of Scotland caiu 5,73% e o Lloyds perdeu 3,57%. Também recuaram BBVA (-2,69%), Santander (-2,03%), BNP Paribas (-1,74%), Société Générale (-0,94%),

A AstraZeneca ficou entre os destaques de queda da sessão, com queda de 6,72% em seus papéis após a agência reguladora dos medicamentos nos EUA, a FDA, ter pedido mais análises sobre a Brillinta, o que deve atrasar em pelo menos nove meses uma eventual aprovação da droga.

Operadores destacaram que o volume de negócios do mercado de ações está baixo e deve cair ainda mais na próxima semana por causa da véspera do Natal. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsasEuropabancosIrlandadívidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.