Bolsas europeias encerram com valorização

FTSE-100 subiu 2,01%; DAX avançou 1,87%; e CAC-40 registrou alta de 1,96%

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

13 de julho de 2010 | 13h49

As principais bolsas europeias fecharam com fortes ganhos, impulsionadas pela divulgação dos resultados financeiros da gigante de alumínio Alcoa que marcou um bom início para a temporada de balanços nos Estados Unidos. Especulações de que as novas regras para o sistema financeiro europeu devem ter dificuldade para avançar também deram suporte ao sentimento do mercado.

 

O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 4,81 pontos, ou 1,91%, para 255,99 pontos, marcando seu sexto dia consecutivo de alta.

 

"Há rumores de que as regras da Basileia estão sendo discutidas e que provavelmente serão menos restritivas", disse Philippe Gijsels, do BNP Paribas.

 

A agência de notícias Bloomberg afirmou, citando pessoas familiarizadas com o assunto, que a França e a Alemanha estão liderando um esforço para afrouxar essas regras.

 

O índice FTSE-100, da Bolsa de Londres subiu 104,00 pontos, ou 2,01%, para 5.271,02 pontos. As ações da British Petroleum (BP) avançaram 2,86%, em meio a expectativas de que a nova tampa de vedação colocada sobre o poço no Golfo do México interromperá o vazamento de óleo. Barclays Bank ganhou 4,22%.

 

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX, avançou 113,94 pontos, ou 1,87%, para 6.191,13 pontos, se aproximando de sua máxima mais recente no ano, de 6.342 pontos. Segundo traders, os volumes de negociação foram baixos, mas o mercado ampliou os ganhos após a divulgação dos lucros das maiores das companhias norte-americanas. BMW subiu 8,29%, depois de a empresa elevar suas perspectivas para lucro e vendas neste ano. Outras montadoras também apresentaram desempenho positivo: Daimler ganhou 5,39% e a Volkswagen avançou 5,16%. Deutsch Bank registrou alta de 2,82% e o conglomerado industrial ThyssenKrupp subiu 3,46%.

 

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, subiu 70,10 pontos, ou 1,96%, para 3.637,76 pontos. O setor automotivo registrou  um dos melhores desempenhos do índice, com Renault subindo 4,23% e Peugeot avançando 5,27%.

 

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX 35 ganhou 201,30 pontos, ou 2,00%, para 10.259,50 pontos. O grupo OHL, atua no ramo de construção, concessões e serviços, liderou as melhores performances da sessão, aumentando 4,15%. Telefónica subiu 1,52%, depois de o presidente da empresa, Cesar Alierta, reiterar que o prazo para a Portugal Telecom (PT) aceitar sua oferta pela participação da companhia portuguesa na Vivo termina na sexta-feira.

 

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 subiu somente 7,50 pontos, ou 0,10%, em 7.312,59 pontos, ficando muito atrás do resto dos mercados europeus, depois que a agência de classificação de risco Moody's rebaixou o rating dos títulos do governo de Portugal em duas notas, de Aa2 para A1, com perspectiva estável. Sonae Indústria avançou 2,64%, enquanto que Portugal Telecom caiu 0,96%, Energias de Portugal recuou 0,40% e EDP Renováveis cedeu 0,20%.

 

O índice ASE Composite, da Bolsa da Grécia, subiu 2,6%, para 1.267,48, com as ações do setor bancário ganhando terreno depois que o governo grego vendeu € 1,625 bilhão em títulos do Tesouro grego de 26 semanas, em seu primeiro leilão desde que aceitou um pacote de ajuda em maio. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
frankfurtCACdaxgréciamadri

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.