Bolsas européias encerram em alta, em recuperação

As Bolsas européias fecharam em alta, recuperando terreno um dia depois de terem fechado nos níveis mais baixos do ano. Operadores disseram que os investidores compraram ações dos setores de mineração, entre as mais atingidas pela volatilidade recente, e de tecnologia, depois de a norte-americana Texas Instruments elevar sua projeção de lucros para o segundo trimestre. Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 92,3 pontos (1,66%), em 5.655,2 pontos, com destaque para as mineradoras (Anglo American +4,93%, Antofagasta +2,49%, BHP Billiton +3,26%, Xstrata +4,30%). Na semana, o FT-100 acumulou uma queda de 1,90%. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 encerrou com ganho de 83,84 pontos (1,79%), em 4.768,18 pontos. A alta foi liderada pelas ações da Arcelor, que subiram 4,98% depois de a empresa confirmar as negociações com a Mittal Steel; as do setor de construção também tiveram altas expressivas (Saint-Gobain +4,67%, Lafarge +4,19%). As da Accor, do setor hoteleiro, subiram 2,51%, depois de a empresa vender participação na Club Med (cujas ações caíram 6%, com o fim das especulações sobre a aquisição da empresa). Na semana, o CAC acumulou uma queda de 3,86%. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX avançou 80,80 pontos (1,50%), em 5.464,08 pontos. Operadores observaram que os volumes foram reduzidos, por causa da abertura da Copa do Mundo. Um analista observou que a próxima semana será fraca de notícias relevantes na Alemanha e que o mercado estará atento aos indicadores norte-americanos. Segundo ele, as ações do setor financeiro deverão reagir aos informes de resultados da Lehman Brothers, na segunda-feira, e da Goldman Sachs, na terça. Na semana, o DAX acumulou uma queda de 3,92%. Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib registrou alta de 520 pontos (1,47%), para 35.826 pontos. Entre as ações que mais subiram estavam as de empresas cujas receitas são mais expostas ao dólar, em reação ao recuo da moeda norte-americana em relação às máximas recentes (Luxottica +3,71%, Bulgari +3,00%). Na semana, o S&P-Mib acumulou perda de 1,92%. A Bolsa de Madri fechou com o índice Ibex-35 em alta de 145,60 pontos (1,33%) para 11.098,20 pontos, recuperando o nível fundamental dos 11 mil pontos com alguma ajuda da abertura levemente positiva de Wall Street. De acordo com operadores, as ações blue chips (de primeira linha) registraram fortes ganhos. As ações da Arcelor lideraram a recuperação do mercado, com uma alta de 6,75%, e as da Ferrovial subiram 3,02%. No setor bancário, as ações do BBVA avançaram 0,59% e as do SCH subiram 1,69%. As ações da Telefónica fecharam em alta de 1,80% e as da Telefónica Móviles avançaram 1,11%. As ações da Sogecable foram as únicas do Ibex-35 a fecharem em baixa, de 1,05%. Em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 54,36 pontos (0,58%) e terminou o dia em 9.498,59 pontos, com os investidores comprando ações que ficaram baratas após uma semana de liquidação. Entre as blue chips, as ações da Portugal Telecom subiram 0,21%, as do Banco Comercial Português ficaram estáveis e as da Energias de Portugal fecharam em alta de 1,38%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

09 de junho de 2006 | 15h34

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.