Bolsas européias encerram o dia em direções opostas

O índice FT-100, da Bolsa de Londres, fechou em alta de 26,3 pontos (0,47%), em 5.678,6 pontos. Operadores disseram que o desempenho melhor do mercado londrino, em comparação com outras bolsas européias, se deveu a especulações sobre fusões e aquisições. As ações da EMI, do setor de música, subiram 8,37%, depois de a empresa confirmar que recebeu uma oferta do Warner Music Group; a EMI reagiu dizendo que a oferta é "totalmente inaceitável" e reafirmou que sua própria oferta pela Warner Music é "muito superior". Os papéis da siderúrgica Corus avançaram 1,34%, em meio a especulações contínuas sobre mais consolidação no setor, após o anúncio da fusão entre Mittal e Arcelor. As ações do setor de petróleo tiveram ganho (BP +0,90%, Cairn Energy +2,64%, Shell +1,49%), assim como as das distribuidores de energia elétrica (Drax Group +0,84%, International Power +1,28%, Scottish Power +0,52%). Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 terminou positivo e subiu 2,76 pontos (0,06%), em 4.774,00 pontos. Houve pouca atividade no mercado, com os investidores na expectativa da decisão do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA). As ações da EADS, do setor de tecnologia aeroespacial e militar, caíram 3,89%, em reação a informes de que um de seus executivos-chefes, Noel Forgeard, teria dito ao parlamento francês que não vai renunciar ao cargo. As da seguradora AXA subiram 1,57%, depois de a empresa dar detalhes sobre sua estratégia de aquisições. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX encerrou em baixa de 2,28 pontos (0,04%), em 5.456,87 pontos, com o mercado acompanhando o fraco desempenho das Bolsas dos EUA. "O DAX provavelmente não vai deixar de operar 'de lado' antes do anúncio da decisão do Fed", disse um operador. Para ele, uma indicação de melhora sustentável só virá se o índice fechar acima dos 5.499 pontos. As ações da Bayer tiveram expansão de 1,71%, após recomendação da Bear Stearns. Outros destaques do pregão foram Adidas-Salomon (-1,51%) e Commerzbank (-1,34%). Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib terminou em alta de 122 pontos (0,34%), em 35.515 pontos. A pouca atividade no mercado se deu em dia fraco de notícias. As ações da Autostrade avançaram 0,05% antes de uma reunião da autoridade reguladora que deverá ser decisiva para a fusão com a espanhola Albertis. No setor financeiro, os papéis do banco Monte dei Paschi di Siena tiveram elevação de 0,39%, após a instituição divulgar seu plano estratégico. As da Assicurazioni Generali avançaram 2,02%, ainda em reação ao anúncio da aquisição da Toro. O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, recuou 25,70 pontos (0,23%), em 11.188,80 pontos. As principais blue chips (empresas com ações de primeira linha) espanholas caíram, na falta de notícias que servissem de impulso para ganhos (Telefónica -0,55%, Telefónica Móviles -0,56%, Ferrovial -1,37%). Os papéis da Iberia subiram 1,02%, recuperando-se da queda de ontem; os da Sogecable, do setor de TV a cabo, avançaram 0,37%. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em queda de 5,25 pontos (0,06%), em 9.418,83 pontos. As ações da Energias de Portugal subiram 1,33%, em reação a comentários otimistas de analistas. As do Banco Comercial Português recuaram 0,45% e as da Portugal Telecom diminuíram 0,64%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.