Bolsas europeias fecham em alta

O comunicado sobre a decisão de política monetária do BoE surpreendeu e deixou animados os mercados

04 de julho de 2013 | 14h09

As bolsas da Europa encerraram o pregão desta quinta-feira, 04, em terreno positivo, após Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu (BCE), sugerir que as taxas de juros da instituição permanecerão no nível atual ou menor por um "período prolongado". Um comunicado, que acompanhou a decisão de política monetária do Banco da Inglaterra (BoE) surpreendeu e contribui para forte alta dos índices europeus. O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 2,34%, fechando a 292,15 pontos.

Ao detalhar os rumos da política monetária da Europa, Draghi contribuiu para o otimismo dos investidores da região. Após o BCE manter a taxa básica de juros em 0,50%, o presidente da instituição disse que a política monetária da região vai continuar acomodatícia pelo tempo que for necessário. "O conselho espera que as taxas de juros do BCE permaneçam no nível atual ou em níveis menores por um período prolongado", afirmou Draghi.

O presidente do BCE ainda ressaltou que a instituição tomou uma atitude inédita ao dar diretrizes sobre o rumo da política monetária e que a decisão foi unânime entre os membros do Conselho.

O BOE também surpreendeu ao emitir um comunicado com cinco parágrafos, bem mais extenso que o tradicional documento com apenas algumas linhas publicado após as decisões anteriores. Esta foi a primeira reunião do banco central inglês sob o comando do presidente Mark Carney.

Após manter a taxa básica de juros inalterada em 0,5% e seu programa de compras de ativos em 375 bilhões de libras, o BoE afirmou que mais sinais de recuperação no Reino Unido estão a caminho, mas alertou que as altas taxas de juros do mercado podem pesar na recuperação.

Os sinais de que a situação política de Portugal pode estar progredindo também representaram um atenuante para a recente preocupação dos investidores em relação à uma crise política no país.

O índice FTSE, da Bolsa de Londres, avançou 3,08%, fechando a 6.421,67 pontos, após os investidores terem recebido positivamente o comunicado do BOE. Entre as ações, destaque para os bancos, como o RBS, que subiu 5,22%, e o Standard Chartered, que fechou em alta de 4,83%.

Em Paris, o índice CAC-40 teve alta de 2,90%, encerrando a sessão a 3.809,31 pontos. No cenário corporativo, as ações das instituições financeiras também se destacaram. O Credit Agricole subiu 6,46%, Société Generale avançou 5,18% e BNP Paribas ganhou 4,79%.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX subiu 2,11%, terminando em 7.994,31 pontos, refletindo as declarações de Draghi após a decisão de política monetária do BCE. Entre as blue chips, o Commerzbank encerrou com alta de 7,88%.

Em Milão, o índice FTSE-Mib ganhou 3,44% e fechou a 15.808,15 pontos, na máxima da sessão. Na Bolsa de Madri o índice IBEX avançou 3,07%, para 8.002,00 pontos. Em Lisboa, o PSI-20 teve alta de 3,73%, a 5.431,60 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropafechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.