Bolsas européias fecham em alta após ata do Fed

As bolsas européias fecharam em alta nesta quarta-feira, ajudadas pela ata benigna divulgada ontem pelo Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA). O documento fez crescer entre os investidores a expectativa de que a trajetória de elevação da taxa básica de juros nos EUA está perto do fim. "O mercado começa a precificar o final do ciclo de alta do juro pelo Fed", disse o estrategista Lars Kreckel, do ABN Amro. Os balanços favoráveis também contribuíram para o desempenho das bolsas. "A qualidade dos lucros de empresas norte-americanas divulgados ontem foi muito boa, com exceção de Motorola. Isso deu ímpeto necessário às ações de tecnologia e semicondutores asiáticas, favorecendo a França e a Alemanha", disse o analista David Buik. Os resultados da IBM e da Texas Instruments ajudaram STMicroelectronics (+2%) e Infineon (+3,3%). A fabricante de chips holandesa ASML Holdings subiu 3,5%, depois de fazer previsão otimista para o segundo trimestre e anunciar recompra de ações no valor de 400 milhões de euros. A bolsa de Londres fechou com o índice FT-100 em alta de 45,70 pontos, ou 0,76%, aos 6.089,80. A máxima ao longo do dia, de 6.100 pontos, é o maior nível desde fevereiro de 2001. Hoje o Banco da Inglaterra divulgou a ata de sua última reunião, quando a taxa de juros foi mantida em 4,5%. A libra subiu frente ao dólar logo após a divulgação do documento, por causa da diminuição das chances de um corte de juros no país. Os papéis de bancos foram destaque. HBOS subiu 1,7%, depois de ter seu preço-alvo elevado por analistas do Citigroup. A fabricante de bebidas Cadbury Schweppes ganhou 1,1% depois de ter sido elevada pelo UBS de neutra para comprar. Em Frankfurt, o índice Dax subiu 91,18 pontos, ou 1,54%, para 5.993,76 pontos. ThyssenKrupp avançou 4,2%, depois de ter tido o preço-alvo de suas ações elevado pelo UBS, enquanto a também siderúrgica Salzgitter saltou 6%. O UBS espera que a situação do setor siderúrgico europeu melhore em 2007. Siemens avançou 3,6%, depois de o Credit Suisse ter elevado a empresa de neutra para outperform, bem como o preço-alvo dos papéis do conglomerado. A bolsa de Paris fechou com o índice CAC-40 em alta de 62,17 pontos, ou 1,22%, aos 5.158,14 pontos. Lafarge liderou os ganhos, subindo 3,8%, em meio ao desempenho positivo do setor de construção. EADS caiu 1,6% e Thales, 0,2%, os dois únicos declínios do índice. A bolsa de Milão fechou com o índice S&P/Mib em alta de 536 pontos, ou 1,43%, aos 38.047 pontos. O setor bancário foi destaque (Banca Intesa +3%, Mediobanca +2,1%, Unicredito +1,1%). O petróleo em alta ajudou ações do setor de energia (Eni +1,2%, Terna +2,5%, Enel +1,4%). Em Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 135,10 pontos, ou 1,17%, aos 11.720,10 pontos. Sogecable caiu 2,7% depois do balanço ruim divulgado ontem. A bolsa de Lisboa fechou com o índice PSI-20 em alta de 54,20 pontos, ou 0,53%, aos 10.304,61 pontos. Portugal Telecom subiu 0,3%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

19 Abril 2006 | 14h17

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.