Bolsas européias fecham em alta após dados dos EUA

As principais Bolsas européias fecharam em alta, algumas delas nos níveis mais altos dos últimos três meses ou mais. O mercado reagiu positivamente aos dados do nível de emprego nos EUA em agosto. Segundo Peter Kysel, chefe de operações com ações européias da MFC Global Investment Management, os investidores estavam na expectativa dos indicadores do emprego nos EUA para avaliar suas possíveis implicações para a inflação e a política monetária. Para ele, os ganhos recentes das Bolsas européias resultaram em grande parte da percepção de que o Federal Reserve norte-americano encerrou o ciclo de apertos monetários, ou está próximo de fazê-lo. Entre os destaques do dia estavam as ações dos setores de mineração, financeiro e farmacêutico. Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 43,0 pontos (0,73%), em 5.949,1 pontos. Um dos destaques do pregão foi Rank Group (que controla cassinos, bares e a rede Hard Rock Café); suas ações chegaram a cair 3,5% durante o dia, mas fecharam em alta de 6,21%. A empresa divulgou resultados, já com o impacto na receita da proibição de fumar dentro de bares na Escócia, adotada em maio, e anunciou um plano de reestruturação. As ações das mineradoras subiram, em reação à notícia do fim da greve da mina de cobre Escondida, no Chile, que tem a BHP Billiton como acionista majoritário, com participação também da Rio Tinto (Anglo American +2,60%, Antofagasta +1,93%, BHP Billiton +0,60%, Kazakhmys +1,22%, Rio Tinto +1,05%, Xstrata +2,93%). Na semana, o FT-100 acumulou uma alta de 1,20%. Gallaher Group e Hays estão entre as empresas britânicas que divulgarão resultados na próxima semana. O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 18,41 pontos (0,36%), em 5.183,45 pontos. A alta foi liderada pelas ações da Alstom, que subiram 1,77% em reação à notícia do contrato para construir uma usina de energia na França. As da Pinault Printemps Redoute avançaram 1,48%, em reação à notícia de que sua unidade Redcats comprou a norte-americana Sportmen's Guide. No setor farmacêutico, as ações da Sanofi-Aventis subiram 0,93%; apesar de a empresa ter rebaixado sua previsão de lucro para 2006, os investidores reagiram positivamente à decisão de um tribunal norte-americano que bloqueou a comercialização de uma versão genérica do medicamento Plavix, desenvolvido pela companhia francesa. As ações da L'Oreal caíram 2,02%, devido à realização de lucros; elas haviam subido 2,00% ontem, em reação a seu informe de resultados. No setor de energia elétrica, as ações da EdF, que divulgou resultados ontem à tarde, caíram 1,26%. Na semana, o CAC acumulou uma alta de 1,41%. Dexia, Crédit Agricole, Accor, Atos Origin, BiC, LVMH, Carrefour, CapGemini, Vivendi, Canal Plus, PPR e Havas divulgarão resultados na próxima semana. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em alta de 16,97 pontos (0,29%), em 5.876,54 pontos. Operadores observaram que o DAX alcançou a máxima intraday de 5.907,16 pontos, depois da divulgação dos dados do nível de emprego nos EUA, mas recuou no fim do pregão, devido à realização de lucros, depois da divulgação de um indicador fraco de vendas de imóveis pendentes nos EUA. Para eles, o mercado alemão deverá ter um desempenho positivo na próxima semana, a não ser que os preços do petróleo voltem a subir. As ações da TUI, do setor de turismo, subiram 2,03%, em reação positiva à decisão da diretoria do grupo de estudar um plano de reestruturação. As da Bayer recuaram 0,70%, devido a fatores técnicos. Na semana, o DAX acumulou uma alta de 1,12%. A Bertelsmann, do setor de mídia, divulga resultados na próxima quarta-feira. A Bolsa de Milão fechou com o índice S&P-Mib em alta de 221 pontos (0,58%), em 38.159 pontos. As ações dos bancos Intesa e San Paolo IMI continuaram a beneficiar-se do anúncio de fusão feito no último fim de semana (Intesa +1,13%, San Paolo +3,13%). Outros destaques do pregão foram Finmeccanica (+2,26%) e Autostrade (+3,57%). Na semana, o S&P-Mib acumulou uma alta de 1,17%. Várias empresas italianas divulgarão resultados na próxima semana, entre elas Banca Intesa, Alleanza Assicurazioni, Italcementi, Telecom Italia Media, Autogrill, Banca Fideuram, Enel, Capitalia, Banca Nazionale del Lavoro e Fondiaria. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 48,30 pontos (0,40%), em 12.193,00 pontos, nível mais alto dos últimos seis anos. Os destaques foram Sacyr Vallehermoso (+1,93%) e Metrovacesa (-0,54%), depois de as duas empresas divulgarem resultados. As da Sogecable, que divulgaria resultados depois do fechamento, subiram 0,82%. Na semana, o Ibex acumulou uma alta de 1,25%. O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, fechou em alta de 19,42 pontos (0,20%), em 9.976,99 pontos. As ações da Energias de Portugal subiram 0,64%, recuperando terreno depois das quedas recentes; as da Sonae Indústria recuaram 0,60%, em reação a seu informe de resultados. Na semana, o PSI-20 acumulou uma alta de 0,90%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

01 de setembro de 2006 | 18h42

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.