Bolsas europeias fecham em alta com balanços

A divulgação de bons resultados financeiros pela Siemens e pela Unilever e de dados econômicos encorajadores sustentaram uma alta generalizada nos mercados de ações da Europa. Ao mesmo tempo, a expectativa de um iminente acordo nas negociações de um pacote de resgate financeiro para a Grécia ajudou a aplacar as preocupações dos investidores. Apesar disso, as ações da British Petroleum caíram 6,5%. A companhia continua tentando conter um derramamento de petróleo que vem custando US$ 6 milhões por dia aos proprietários do poço, situado no Golfo do México. A BP detém 65% de participação na reserva em questão.

RICARDO GOZZI, Agencia Estado

29 de abril de 2010 | 14h36

O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 1,4%, fechando em 261,90 pontos um dia depois de ter encerrado no pior nível em seis semanas depois do rebaixamento de rating da Espanha pela agência de classificação de risco de crédito Standard & Poor''s. "Os problemas da dívida grega e as preocupações com Portugal e Espanha continuam sendo os assuntos do momento, mas o fato de não ser esperada nenhuma notícia (sobre a ajuda à Grécia) antes do fim de semana permitiu o avanço das ações europeias", avaliaram analistas do Royal Bank of Canada.

Depois de uma reunião com o primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, um líder sindical local disse hoje ser possível que um acordo com a União Europeia (UE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) venha à tona até o fim de semana. Em Atenas, o índice composto ASE avançou 7,1%, fechando em 1.829,29 pontos em meio a crescentes esperanças de que o país consiga a ajuda financeira de que necessita a tempo de evitar um default. As ações do Banco Nacional da Grécia valorizaram-se quase 18% e as do EFG Eurobank Ergasias subiram 14,3%.

"Nós acreditamos que a UE se aterá a sua promessa e dará à Grécia o dinheiro necessário, não apenas os 30 bilhões de euros para este ano (dentro de um pacote total 45 bilhões de euros do qual também participará o FMI), mas muitos bilhões a mais necessários para que a Grécia sobreviva pelos próximos três anos", opinaram analistas do DZ Bank. Uma bem recebida venda de bônus do governo italiano também ajudou a atenuar os temores de que a crise fiscal grega arraste consigo outros países altamente endividados da zona do euro, disseram economistas.

Em Madri, o índice Ibex-35 subiu 2,69%, fechando em 10.441,00, ajudado pela valorização de 3,6% do banco Santander. Em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 4,6%, fechando em 7.339,20, recuperando-se de perdas acentuadas no pregão de ontem. Entre as principais Bolsas de Valores do Velho Continente, o índice DAX, de Frankfurt, avançou 1%, fechando em 6.144,91 pontos. Em Londres, o FTSE-100 subiu 0,56%, encerrando o pregão em 5.617,84 pontos. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40, teve alta de 1,42%, terminando a sessão em 3.840,62 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.