Bolsas europeias fecham em alta com expectativa de socorro para Grécia

As principais bolsas europeias fecharam em alta, animadas pelas esperanças de que uma solução para os problemas financeiros da Grécia será encontrado em breve. As ações de bancos tiveram um dia positivo, em particular os espanhóis, também em reação as esperanças sobre um socorro aos países periféricos da zona do euro. Por outro lado, as ações da gigante do setor de siderurgia ArcelorMittal e da montadora francesa Peugeot caíram depois de anunciarem lucros desapontadores.

Suzi Katzumata, da Agência Estado,

10 de fevereiro de 2010 | 16h29

 

Em Londres, o índice FT-100 subiu 20,15 pontos (0,39%) e fechou com 5.131,99 pontos; em Paris, o índice CAC-40 avançou 22,85 pontos (0,63%) e fechou com 3.635,61 pontos; em Frankfurt, o índice Dax-30 subiu 38,11 pontos (0,69%) e fechou com 5.536,37 pontos.

 

Políticos alemães, ministros de Finanças da zona do euro e o presidente da França Nicolas Sarkozy todos têm se engajado na "questão Grécia", mas nada concreto surgiu até agora das abrangentes discussões antes do encontro de cúpula desta quinta-feira dos líderes da União Europeia em Bruxelas. Contudo, uma fonte do governo alemão indicou que nenhuma decisão

sobre a Grécia será alcançada nesta semana.

 

Mas pelo menos um país deixou claro seu desejo de ficar de fora da crise na região: o presidente do Banco da Inglaterra Mervyn King e o primeiro-ministro britânico Gordon Brown, ambos destacaram a questão com um problema da zona do euro, da qual o Reino Unido não é parte pois continua a usar a libra e não o euro.

 

A incerteza sobre um socorro para a Grécia, junto com comentários duros (hawkish) do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, pesaram sobre o euro. Depois de ganhar terreno na primeira parte da sessão europeia, o euro escorregou para abaixo de US$ 1,37 no final do dia, tocando nos US$ 1,3676 na mínima intraday, antes de recuperar aquele nível.

 

As ações dos bancos gregos subiram com ajuda das especulações sobre um plano de socorro europeu: National Bank of Greece subiu 4,4% e EFG Eurobank Ergasias avançou 7,1%. Em Atenas, o índice ASE Composite subiu 2,4% para 1.940,82 pontos.

 

Outras ações financeiras europeias também subiram: Fortis +6,22%, Banco Comercial Português +5,41%, Santander +3,71% e BBVA +3,37%.

 

Entre as notícias corporativas, a ArcelorMittal, maior siderúrgica do mundo, teve lucro líquido maior do que o esperado no quarto trimestre do ano passado, de US$ 1,07 bilhão, em comparação com o prejuízo de US$ 2,63 bilhões registrado no mesmo período de 2008. Contudo, o resultado opercional e as perspectivas para o primeiro trimestre ficaram abaixo do

esperado e as ações fecharam em baixa de 6,96%.

 

As ações da francesa Peugeot caíram 4,93% depois da montadora ter anunciado um prejuízo líquido maior que o esperado em 2009 devido à fraqueza nas vendas de carros em seus principais mercados. Em 2009, a montadora registrou um prejuízo líquido de 1,16 bilhão de euros, de um prejuízo de 363 milhões de euros registrado em 2008 e de uma expectativa de perda de 890 milhões de euros dos analistas.

 

Em Milão, o índice FTSE/MIB subiu 422,66 pontos (2,03%) e fechou com 21.241,63 pontos; em Madri, o índice Ibex-35 avançou 179,60 pontos (1,75%) e fechou com 10.455,00 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 134,14 pontos (1,79%) e fechou com 7.631,94 pontos.

As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
açõesBolsaEuropaGrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.