Bolsas européias fecham em alta com juros inalterados

A decisão do Banco da Inglaterra (BoE) de manter a taxa básica de juros do país inalterada em 4,5% agradou aos investidores, e o índice FT-100, da Bolsa de Londres, fechou em alta de 1,09% (63,3 pontos), em 5.890,0 pontos. Além disso, uma decisão da Justiça americana favorável à indústria do tabaco impulsionou as ações do setor, que estiveram entre as que mais subiram em Londres (BAT +2,61%, Imperial Tobacco +1,74%, Gallaher +1,71%). As ações da cervejaria SABMiller (da qual o norte-americano Altria Group, ex-Philip Morris, controla 25%) avançaram 1,94%. As ações do setor farmacêutico também subiram (AstraZeneca +1,63%, GlaxoSmithKline +1,79%). Na Bolsa de Paris, outra decisão sobre de juros ditou a trajetória do mercado: o índice CAC-40 respondeu à manutenção da taxa básica de juros da União Européia em 2,75%, pelo Banco Central Europeu (BCE), e fechou em alta de 0,92% (45,15 pontos), em 4.966,45 pontos. As ações da Carrefour subiram 2,74%, depois de a família Haley negar rumores de que estaria para vender sua participação na empresa varejista. As da EADS, do setor de tecnologia aeroespacial e militar, avançaram 2,44%, recuperando parte do terreno perdido com as preocupações em relação ao futuro do programa Airbus. As da EDF, do setor elétrico, caíram 4,12%, em meio a temores de que o governo francês prorrogue o teto para as tarifas adotado há cinco anos. No mercado de Frankfurt, o índice Xetra-DAX encerrou com ganho de 1,24% (69,84 pontos), aos 5.695,47 pontos. Operadores disseram que os investidores compraram para cobrir posições depois da divulgação dos dados de estoques norte-americanos de petróleo e do índice de atividade no setor de serviços dos gerentes de compras dos EUA (ISM); os números reduziram as expectativas de que o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) volte a elevar suas taxas de juro. Um operador observou que o mercado operou na expectativa dos dados do nível de emprego nos EUA, a serem divulgados amanhã. As ações da Bayer caíram 1,01%, depois do anúncio de um aumento de capital.As da Schwartz Pharma avançaram 3,22%, em reação a rumores de uma oferta de aquisição por parte da Merck. Em Milão, o índice S&P-Mib registrou elevação de 0,90% (327 pontos), para 36.534 pontos, acompanhando as altas de outras bolsas européias e a abertura positiva em Nova York. As ações do Unicredito Italiano subiram 1,19%, em reação a seu plano estratégico, anunciado ontem. As da Bulgari, do setor de artigos de luxo, avançaram 3,88%, em meio a especulações sobre a possibilidade de uma fusão com a francesa LVMH (Louis Vuitton-Moët-Hennessy). As da Finmeccanica caíram 3,48%, depois de rebaixamento de recomendação pela Goldman Sachs. Agora, as atenções do mercado se voltam para a discussão do Orçamento do governo italiano no Congresso, amanhã. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 encerrou com ganho de 1% (115,60 pontos), em 11.636 pontos, puxada pela abertura em alta das Bolsas dos EUA e pelo recuo dos preços do petróleo. As ações do Santander subiram 1,40%, as do Bilbao Vizcaya avançaram 1,52% e as da Telefónica tiveram um ganho de 1,08%. As da Gamesa caíram 1,80%, depois de a Morgan Stanley vender 2 milhões de ações. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 0,25% (23,90 pontos), em 9.494,55 pontos.As ações da Portugal Telecom subiram 0,74%. As do Banco Comercial Português e as da Energias de Portugal fecharam nos mesmos níveis de ontem. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.