Bolsas européias fecham em alta com Nokia e Siemens

As principais Bolsas européias fecharam em alta. O setor de destaque foi o de tecnologia, que reagiu ao anúncio de um acordo para a fusão entre as unidades de equipamentos de telefonia da finlandesa Nokia e da alemã Siemens; a nova empresa deverá ter tamanho equivalente ao da rival sueca Ericsson e ao da companhia que surgirá da fusão entre a norte-americana Lucent Technologies e a francesa Alcatel. A abertura em baixa das Bolsas norte-americanas, porém, levou os mercados europeus a recuaram das máximas do dia. Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 28,7 pontos (0,51%), em 5.626,1 pontos. A alta foi liderada pelas ações do setor de seguros, depois de a Royal & Sun Alliance anunciar que deverá reduzir seus custos em 130 milhões de libras a cada ano até 2008 (R&SA +2,85%, Legal & General +2,44%, Old Mutual +2,69%). Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em alta de 34,13 pontos (0,73%), em 4.729,02 pontos. As ações da Lafarge subiram 2,35%, devido à expectativa positiva em relação a uma apresentação a ser feita pela empresa a investidores nesta quinta-feira. As da AGF avançaram 2,26%, acompanhando as altas das ações do setor financeiro. As da Veolia Environnement subiram 2,12%, depois de a empresa descartar uma fusão com a Vinci (cujas ações recuaram 0,51%). As da Gaz de France caíram 1,61%, devido a especulações de que o governo francês poderá forçar uma fusão entre a empresa e a Suez (cujas ações subiram 0,34%). No setor de tecnologia, os destaques foram CapGemini (+1,57%), Alcatel (+1,65%) e STMicroelectronics (+1,88%). Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em alta de 63,22 pontos (1,18%), em 5.439,23 pontos. As ações da Siemens subiram 6,65%, em reação ao anúncio da aliança com a Nokia. As da Volkswagen avançaram 1,40%, depois do anúncio de que a produção do modelo Scirocco poderá ser transferida para Portugal. As ações do setor de seguros também subiram (Allianz +2,73%, Münchener Rück +2,24%). Operadores disseram que amanhã o mercado estará atendo à divulgação do índice de preços ao produtor da Alemanha em maio. Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib fechou em queda de 76 pontos (0,22%), em 35.152 pontos. Operadores atribuíram o recuo ao fato de ENI e Enel estarem ex-dividendo (sem dar direito ao comprador de receber o dividendo já aprovado). As ações da STMicro subiram 2,37%; as da Finmeccanica avançaram 3,05%, recuperando terreno depois das quedas fortes da semana passada. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 94,00 pontos (0,86%), em 11.056,80 pontos. A alta foi atribuída ao bom desempenho das ações das construtoras (Sacyr +5,22%, Ferrovial +4,23%) e de blue chips como Santander (+1,60%, após assembléia de acionistas no fim de semana) e Telefónica Móviles (+1,04%). Outros destaques foram Sogecable (+4,05%) e Gas Natural (+2,62%). Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 33,66 pontos (0,36%), em 9.328,94 pontos. Segundo operadores, os investidores buscaram ações cujos preços ficaram atraentes com as quedas da semana passada (Banco Comercial Português +0,92%, Sonaecom +2,20%, Portugal Telecom +0,21%). As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.