Bolsas europeias fecham em alta com plano da Grécia

Aprovação das medidas de austeridade fiscal apresentadas pelo governo do primeiro-ministro, George Papandreou, deixou o país mais perto de receber a próxima parcela de recursos do FMI e da UE

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

29 de junho de 2011 | 14h41

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta depois de o parlamento da Grécia ter aprovado o plano de austeridade fiscal apresentado pelo governo do primeiro-ministro grego, George Papandreou, deixando o país mais perto de receber a próxima parcela de recursos do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia (UE).

Para que o empréstimo seja liberado, os parlamentares da Grécia ainda precisam aprovar amanhã a legislação que regulará a implementação do plano de austeridade fiscal. "O voto positivo (hoje) não é o fim dos problemas da Grécia", disse Christian Stocker, estrategista de ações do UniCredit. "É um passo importante para resolver os problemas com dívidas, mas não para solucionar todo o processo", acrescentou.

O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 4,57 pontos, ou 1,72%, para 269,80 pontos. Na Bolsa de Londres, o FTSE-100 avançou 89,07 pontos, ou 1,54%, para 5.855,95 pontos. Em Paris, o CAC 40 ganhou 72,34 pontos, ou 1,88%, para 3.924,23 pontos. Na Bolsa de Frankfurt, o Xetra DAX fechou em alta de 123,71 pontos, ou 1,73%, a 7.294,14 pontos.

Em Milão, o índice FTSE MIB subiu 409,99 pontos, ou 2,11%, para 19.864,67 pontos. O IBEX 35, da Bolsa de Madri, avançou 206,90 pontos, ou 2,08%, para 10.143,60 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 teve alta de 156,27 pontos, ou 2,25%, para 7.108,41 pontos. O ASE, da Bolsa de Atenas, ganhou 6,01 pontos, ou 0,48%, para 1.264,85 pontos.

O avanço no plano de austeridade fiscal da Grécia deu impulso aos papéis de bancos. Fecharam em alta Commerzbank (+2,1%), UniCredit (+1,4%), BBVA (+2,3%) e Société Générale (+2,6%).

As ações da Glencore International terminaram a sessão praticamente estáveis, depois de terem subido ao longo do dia. Diversas corretoras começaram a avaliar o desempenho dos papéis da companhia recentemente, com UBS, Citigroup e Morgan Stanley emitindo recomendações de compra e Credit Suisse atribuindo perspectiva de performance "acima da média" para as ações.

No setor financeiro, os papéis da ICAP fecharam em alta de quase 10% depois de uma porta-voz da corretora afirmar ao site MarketWatch que a companhia reorganizou a equipe de gerenciamento da unidade de câmbio. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.