Bolsas européias fecham em alta com setor de veículos

As principais Bolsas da Europa fecharam em alta com ganhos nos setores de veículos, mas a alta foi limitada pelos indicadores econômicos dos Estados Unidos, que mostraram queda acima do esperado da confiança do consumidor. Além disso, o setor de construção foi afetado negativamente pelo alerta de lucros da norte-americana construtora de residências Lennar. O índice FTSE-100 encerrou com ganho de 0,01%, em 6.292,60 pontos e o CAC-40 da Bolsa de Paris subiu 0,19%, terminou em 5,587,06 pontos. Na Alemanha, o índice de confiança Ifo mostrou uma inesperada melhora no meio empresarial em março, estimulando o Xetra-DAX da Bolsa de Frankfurt, que avançou 0,43% e encerrou em 6.858,34 pontos. As ações da DaimlerChrysler subiram 2,8% com a expectativa de que a primeira rodada de ofertas pela Chrysler possa ser realizada em poucos dias, segundo informaram jornais em Detroit e Frankfurt. Os papéis da Porsche também avançaram 4,7% na esteira dos ganhos de ontem, quando a companhia aumentou participação na Volkswagen. As ações da Volks, por sua vez, perderam 1%. Em Londres, os papéis da construtora de imóveis residenciais Persimmon caíram 1,6% com a especulação de que a companhia pode lançar uma oferta hostil pela concorrente Taylor Woodrow, que anunciou ontem fusão com George Wimpey. Ainda no setor, as ações da Wolseley perderam 2,6%, afetadas pela Lennar, que renovou as preocupações do mercado imobiliário nos EUA após registrar recuo de 73% no lucro do primeiro trimestre e excluir do relatório informações sobre as estimativas para o resultado no ano. Os papéis do Barclays recuaram 2% em reação aos comentários do presidente do banco, Bob Diamond, de que as conversas com o ABN Amro sobre uma possível fusão ainda estão ocorrendo. As mineradoras tiveram desempenhos positivos, estimuladas pelos preços sólidos do ouro. As ações da BHP Billiton subiram 0,9%, Rio Tinto ganhou 1,3% e Anglo American avançou 0,8%. Entre as petroleiras, as ações da BP subiram 0,2% e as da Royal Dutch Shell ganharam 0,3%. Em Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 0,46%, em 14.536,8 pontos, com os ganhos no setor de bancos. As ações do Santander evoluíram 1,2% e as do BBVA, +1%. Já em Lisboa, onde o índice PSI-20 terminou em queda de 0,50%, os bancos lideraram as perdas: Banco Comercial Português recuou 2,5% e Banco Português de Investimento cedeu 0,9%. As informações são das agências internacionais.

Agencia Estado,

27 de março de 2007 | 14h26

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.