Bolsas européias fecham em baixa após dado dos EUA

As principais Bolsas européias fecharam em queda, após nove sessões de alta. O ressurgimento das preocupações com a inflação nos EUA, a alta dos preços do petróleo e informes de vendas ou resultados financeiros de empresas importantes tiveram impacto no desempenho dos mercados. A pesquisa de confiança do empresariado do instituto alemão ZEW também afetou os mercados; o índice caiu a -27,4 em outubro (o mais baixo desde março de 1993), de -22,2 em setembro, quando economistas previam que ele subisse a -19,5 em outubro. Londres Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em queda de 63,8 pontos, ou 1,03%, em 6.108,6 pontos. As ações da British Energy subiram 5,39%, depois de elevação de recomendação pelo UBS; elas haviam caído 23,82% ontem, em reação ao anúncio de problemas de manutenção em uma de suas usinas. As ações dos bancos caíram, devolvendo parte dos ganhos recentes, com o fim das especulações sobre novas fusões (Barclays recuou 2,42% e Lloyds TSB cedeu 2,50%). As ações da siderúrgica Corus recuaram 0,10%, depois de a empresa comunicar à Bolsa de Londres que está negociando uma oferta de aquisição de 4,1 bilhões de libras da indiana Tata Steel. A alta dos preços do petróleo fez subirem as ações do setor (BP registrou ganho de 0,33% e Shell avançou 0,17%) e causou a queda das ações do setor de transportes (British Airways teve perda de 2,00%); as da fabricante de turbinas para aviões Rolls-Royce recuaram 2,29%. Paris O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, encerrou em baixa de 58,98 pontos, ou 1,10%, em 5.302,99 pontos. As ações da Renault caíram 3,63%, devido à perspectiva fraca das vendas de veículos na França. As da Publicis, do setor publicitário, perderam 3,20%, em reação a rumores de perda de contratos. As da Danone subiram 1,61%, em reação a seu informe de vendas nos primeiros nove meses do ano. As ações da indústria de produtos de luxo LVMH (Louis Vuitton-Moët-Hennessy) caíram 2,42%, depois de a empresa divulgar informe de vendas. No setor farmacêutico, as ações da Rhodia caíram 2,49%, depois de a Sanofi-Aventis anunciar que vendeu sua participação de 8,17% na empresa; as ações da Sanofi-Aventis recuaram 0,14%. Frankfurt A Bolsa de Frankfurt terminou o dia com o índice Xetra-DAX em queda de 71,44 pontos, ou 1,15%, em 6.115,10 pontos. A queda foi atribuída à realização de lucros, depois dos ganhos recentes, e à influência da abertura em baixa das Bolsas norte-americanas. As ações da RWE caíram 1,22%, depois do anúncio da venda de sua unidade britânica Thames Water para a Macquaries por 4,8 bilhões de libras. As ações da Deutsche Börse caíram 1,24%, depois de ela entrar com pedido junto às autoridades antitruste européias para uma fusão com a Euronext, que opera as Bolsas de Paris, Amsterdã, Bruxelas e Lisboa; ontem, a Deutsche Börse havia dito que não está interessada em uma fusão que envolva também a Bolsa de Nova York (Nyse), preferida pela Euronext para uma aliança. Operadores disseram que amanhã o mercado estará atento à divulgação do saldo comercial da zona do euro em agosto, ao índice de preços ao consumidor dos EUA em setembro e aos dados de estoques norte-americanos de petróleo. Milão Na Bolsa de Milão, o ìndice S&P-Mib fechou com perda de 511 pontos, ou 1,29%, em 39.139 pontos. Operadores disseram que a abertura em queda das Bolsas dos EUA motivaram realização de lucros. As ações mais afetadas foram as do setor financeiro, que haviam subido muito recentemente devido a notícias ou especulações sobre fusões e aquisições (Banca Popolare Italiana despencou 4,90% e Banca Popolare di Milano sofreu desvalorização de 3,68%). As ações da Alitalia caíram 1,03%, com o mercado na expectativa de uma reunião entre o primeiro-ministro Romano Prodi e o executivo-chefe da empresa, hoje depois do fechamento. Madri O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, fechou em queda de 231,30 pontos, ou 1,72%, em 13.245,30 pontos. Operadores disseram que o mercado reagiu aos dados da produção industrial dos EUA em setembro, que ficaram abaixo das previsões. As ações da Repsol, do setor de petróleo, caíram 6,03%, depois de a construtora Sacyr Vallehermoso anunciar a compra de uma participação de 9,23% na empresa; a compra reduziu as expectativas de uma oferta para a aquisição da Repsol, que teve recomendação rebaixada pela Bear Stearns. No setor bancário, as ações do BBVA caíram 2,67%, depois de rebaixamento de recomendação pelo Deutsche Bank. Lisboa Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 terminou com desvalorização de 12,88 pontos, ou 0,12%, em 10.421,12 pontos. Operadores disseram que o mercado português acompanhou as quedas de outras Bolsas européias, depois da divulgação dos indicadores norte-americanos. As ações do Banco Comercial Português caíram 0,79%. As da Altri subiram 6,03%, depois de o JP Morgan anunciar a compra de uma participação de 2% na empresa. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2006 | 15h31

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.