Bolsas européias fecham em baixa, em reação à Coréia

As bolsas da Europa fecharam em baixa, com as perdas motivadas pelos testes de mísseis da Coréia do Norte se avolumando após a renovação das tensões sobre o rumo da taxa de juros nos EUA. Essa retomada das tensões se deu com a divulgação de um levantamento que prevê um número maior de vagas de emprego criadas em junho pelas empresas norte-americanas superior ao previsto anteriormente por outros analistas, o que pode indicar que a economia dos EUA continua aquecida acima do nível tido como confortável pelo banco central do país. Em Londres, o FTSE-100 fechou em baixa de 56,80 pontos (0,97%), em 5.826,70 pontos, com os investidores vendendo, particularmente, ações relacionadas a commodities de base. A BHP caiu 3,12% e a Xstrata, 3,02%. Na Bolsa de Paris, o CAC-40 recuou 62,58 pontos (1,26%), para encerrar em 4.921,30 pontos. Os papéis do Carrefour caíram 0,3%, vendo o volume de negócios aumentar na medida em que se aproximava o horário de fechamento da sessão, em razão da publicação de uma reportagem informando que a família Halley poderia vender sua participação de 13% no grupo. Em Frankfurt, o Xetra-DAX perdeu 103,38 pontos (1,80%) e fechou em 5.625,63 pontos, com os investidores citando a expectativa em torno dos comentários que o presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, deve fazer amanhã, após a autoridade monetária da zona do euro divulgar sua decisão sobre a taxa de juros na região. No mercado de Milão, o índice S&P/MIB cedeu 531,00 (1,45%), terminando o dia em 36.207,00 pontos. EM Madri, o índice IBEX-35 cedeu 81,90 pontos (0,71%), para fechar o pregão em 11.521,20 pontos. Em Lisboa, o índice PSI Geral fechou em baixa de 11,38 pontos (0,38%), em 2.945,93 pontos. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.