Bolsas europeias fecham em baixa influenciadas por NY

As bolsas europeias fecharam em baixa nesta quinta-feira, 11, pressionadas por tensões geopolíticas e pelo fraco desempenho dos mercados acionários em Nova York. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia com desvalorização de 0,12%, a 344,27 pontos. O quadro geopolítico continua gerando cautela entre os investidores, que temem aplicar em ações num momento de incertezas no Oriente Médio e no Leste Europeu.

SERGIO CALDAS, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Estadão Conteúdo

11 de setembro de 2014 | 13h45

Na quarta-feira, 10, à noite, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, autorizou ataques aéreos do país contra militantes do Estado Islâmico na Síria, expandindo a campanha de bombardeios norte-americanos iniciada semanas atrás no Iraque. Em resposta, a Rússia alertou mais cedo que qualquer ataque unilateral dos EUA contra forças islâmicas na Síria seria uma violação da lei internacional. Enquanto isso, a União Europeia anunciou hoje que vai adotar novas sanções a Moscou a partir de sexta-feira, 12, por seu suposto papel no conflito entre separatistas pró-Rússia e forças ucranianas no leste da Ucrânia.

Por outro lado, uma pesquisa divulgada ontem reduziu preocupações em relação ao referendo sobre a independência da Escócia, que será realizado no próximo dia 18. Ao contrário do que sugeria um levantamento divulgado no fim de semana, a pesquisa, do instituto Survation, apontou que a maioria dos escoceses deverá votar contra a proposta de autonomia. A notícia chegou a dar alguma sustentação às principais bolsas na Europa no começo da manhã.

A queda das ações em Wall Street, porém, acabou prevalecendo, levando quase todas os mercados europeus a terminar a sessão em território negativo. As perdas em Wall Street vieram após a fala de Obama e dados piores que o esperado do mercado de trabalho dos EUA.

Em Londres, o índice FTSE-100 caiu 0,45%, a 6.799,62 pontos. O destaque no mercado inglês, no entanto, foi de alta: os papéis do Lloyds e do Royal Bank of Scotland (RBS) subiram 1,16% e 1,11%, respectivamente, após os grupos bancários revelarem planos de transferir suas sedes para a Inglaterra caso a Escócia aprove sua independência no referendo da próxima semana. Em Paris, o CAC-40 teve perda de 0,22%, a 4.440,90 pontos, enquanto em Frankfurt, o Dax registrou baixa marginal, de 0,09%, a 9.691,28 pontos, pressionado por montadoras como Daimler (-0,8%) e BMW (-0,4%).

Nas bolsas de países europeus considerados periféricos, o dia também foi de quedas em Madri, com recuo de 0,47% no índice Ibex 35, a 10.886,30 pontos, e em Milão, onde o FTSE-Mib, que reúne as ações italianas mais negociadas, caiu 0,23%, a 21.092,24 pontos. A única exceção foi Lisboa. O PSI 20, que acompanha as empresas portuguesas mais líquidas, garantiu ligeira alta de 0,02%, a 5.922,06 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresEuropaNY

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.