Bolsas européias fecham em baixa pelo segundo dia

As ações na Europa fecharam em baixa pelo segundo pregão consecutivo, com os temores de recessão nos Estados Unidos ampliando a queda desencadeada ontem pelo forte declínio do mercado acionário chinês. As bolsas terminaram, no entanto, acima das mínimas, depois que o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, disse que seu otimismo não foi abalado pelos dados recentes ou pelo declínio das ações ontem. No início da semana, o ex-presidente do Fed Alan Greenspan disse que há uma possibilidade de recessão este ano nos EUA. Frankfurt O índice DAX Xetra 30, de Frankfurt, caiu 1,5%, em 6.715,44 pontos. Ao comentar que o mercado europeu atingiu recentemente as máximas em seis anos, Heino Ruland, da Steubing, em Frankfurt, disse que a correção era esperada e que é um sinal de que os mercados terão "um ano sólido". A resseguradora alemã Munich Re caiu 3,4% após anunciar queda de 52% no lucro líquido do quarto trimestre para 641 milhões de euros (US$ 845 milhões), abaixo das expectativas. As ações da Volkswagen subiram 2,9% e atingiram 98,26 euros, maior valor desde julho de 1998, em meio a especulações de que a Porsche está tentando adquirir o controle da companhia. Londres Em Londres, o índice FTSE 100 recuou 1,8% para 6.171,50. As mineradoras de grande capitalização de mercado, que são extremamente sensíveis às expectativas de crescimento global, foram as mais atingidas pelas vendas de ontem e caíram mais hoje. A Rio Tinto perdeu 2,3%, BHP Billiton fechou em baixa de 2,8% e Anglo American declinou 3,6%. O grupo bancário HBOS recuou 4,6%, após anunciar que as perdas para ajustes com crédito inadimplente subiram 8,9% para 1,74 bilhão de libras. O banco também registrou crescimento de 19,6% no lucro líquido para US$ 7,5 bilhões no ano fiscal de 2006. Paris O índice CAC-40, de Paris, terminou com baixa de 1,3%, aos 5.516,32 pontos. Lisboa Em Lisboa, o índice PSI-20 caiu 1% para 11.693,02 pontos. Contrariando o mercado, Sonaecom avançou 5,3% e a holding Sonae subiu 0,6% com o aumento da probabilidade de sucesso de sua oferta pela Portugal Telecom. A PT caiu 0,6%, a EDP perdeu 1,2% e o BCP recuou 1,4%. Madri Em Madri, o Ibex-35 fechou em queda de 1,1%, em 14.248,4 pontos. Repsol-YPF fechou em baixa de 2,1%, Telefónica caiu 2,3% antes da divulgação, amanhã, de seus resultados. Endesa subiu 0,9%. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.