Bolsas europeias fecham em direções divergentes

Volume de negócios foi reduzido, diante da proximidade do feriado de Natal

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

22 de dezembro de 2010 | 16h21

As principais bolsas europeias fecharam em direções divergentes, mas o índice Stoxx Europe 600 terminou a sessão no positivo, mantendo o ritmo favorável dos últimos três dias. O movimento foi garantido pelo desempenho de ações dos setores automobilístico e da fabricante de chips ARM Holgings. O volume de negócios, entretanto, é reduzido, diante da proximidade do feriado de Natal.

O Stoxx Europe 600 terminou o dia em alta de 0,1% aos 281,45 pontos. Ontem, o índice encerrou a sessão com valorização de 1% e acumula no ano ganho de 10,9%. No setor automobilístico, as ações da francesa Renault subiram 1,3% e os da alemã Volkswagen avançaram 0,5%.

Os papéis da ARM foram impulsionados por informações de que a Microsoft irá anunciar uma nova versão de seu sistema operacional Windows que possui tecnologia oferecida pela ARM. Na esteira, as ações da Infineon fecharam com valorização de 1,6%.

"Um fator positivo, que sustenta a Europa, vem dos EUA, onde os economistas revisam em alta suas projeções para o PIB, alguns dos quais prevendo expansão de até 4% da economia em 2011", disse o diretor da Spotlight Ideas, Stephen Pope.

O índice FT-100, da Bolsa de Londres, aproximou-se do nível psicologicamente importante de 6.000 pontos, chegando a 5.991,80 pontos na máxima durante a sessão. No fechamento, o índice estava em 5.983,49 pontos, após subir 31,69 pontos (0,53%).

Paris terminou o dia em queda de 7,78 pontos (-0,20%) aos 3.919,71 pontos. Mas as ações da LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton SA subiram 1,8%. Ontem, após o fechamento, a empresa de artigos de luxo anunciou elevação em 20% de sua participação na Hermes International, que registrou ganho superior a 2% de suas ações em Paris.

Em Frankfurt, o índice Xetra-DAX encerrou a sessão em baixa de 10,07 pontos (-0,14%) aos 7.067,92 pontos. As ações da companhia de energia elétrica E.ON fecharam em alta de 0,9% e as da RWE subiram 0,4%, beneficiadas por compras de papéis defensivos em preparação ao final do ano. As ações do Deutsche Bank caíram 0,5%, em reação ao acordo fechado ontem com as autoridades norte-americanas, no valor de US$ 553,6 milhões, para encerrar disputa relativa a impostos.

Em Madri, o índice IBEX-35 fechou em queda de 19,90 pontos (-0,20%) aos 10.183,50 pontos. A Bolsa de Lisboa fechou também em baixa, com o índice PSI-20 em queda de 17,49 pontos (-0,22%) aos 7.873,13 pontos. Na Bolsa de Milão, o índice Mib caiu 3,23 pontos (-0,02%) e fechou aos 20.733,37 pontos. Na Grécia, o índice ASE caiu 0,7% e terminou em 1.449,12 pontos, com os papéis do National Bank of Greece em queda de 3,5%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropaações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.