Bolsas europeias fecham em forte queda sob tensão de crise

Índice FTSE MIB, da Itália, recuou 3,32%; em Paris, o CAC-40 caiu 2,1%; e o DAX, da Bolsa de Frankfurt, encerrou com perdas de 2,0%

Cynthia Decloedt, da Agência Estado ,

23 de maio de 2011 | 14h41

As bolsas europeias fecharam nesta segunda-feira, 23, em forte queda, com as ações dos bancos e das seguradoras entre as que mais perderam com a alta das preocupações com a crise soberana europeia. Os papéis dos setores de turismo também foram destaque de baixa, refletindo temores de fechamento do espaço aéreo europeu após a erupção do vulcão Grimsvotn, na Islândia.

O índice FTSE MIB, da Itália, fechou em queda de 3,32%, para 20.532,64 pontos. As ações da Fiat recuaram 3,4%. Em Atenas, o índice ASE composto encerrou o dia em queda de 1,3%, aos 1.280,10 pontos. Na sexta-feira, a Itália teve a perspectiva do rating (nota) do país revisado de estável para negativa, pela agência de classificação de risco Standard & Poor''s, enquanto a Grécia teve o rating do país cortado para B+.

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX-35 fechou em queda de 1,4%, aos 10.082,70 pontos. O Partido Socialista, do governo do primeiro-ministro, José Luiz Zapatero, perdeu na maioria das regiões onde houve eleições ontem, enquanto manifestantes continuam protestando nas ruas contra o elevado desemprego no país. Os papéis do BBVA caíram 2,4% e os do Banco Santander cederam 1,7%.

As ações da seguradora Old Mutual caíram 3,8%, as da Aegon cederam 3,3% e as da Swiss Life recuaram 3,3%. Analistas do UniCredit rebaixaram sua recomendação para o setor na Europa para neutro, de acima da média. Eles também cortaram a recomendação para o setor de matérias-primas para neutra, de acima da média, e para o setor de bens industriais e serviços para abaixo da média, de neutro.

Na Alemanha, o índice Xetra-DAX, da Bolsa de Frankfurt, encerrou com perdas de 2,0%, aos 7.121,52 pontos. As ações do Commerzbank perderam 5,3%, após o banco ter colocado a venda 2,4 bilhões de ações com grande desconto no mercado. No setor aéreo, as ações da Air France-KLM fecharam em baixa de 4,5% e as da International Consolidated Airlines perderam 5,1%.

Em Paris, o índice CAC-40 caiu 2,1% e terminou o dia aos 3.906,98 pontos, com as ações do Credit Agricole em baixa de 2,9%. As ações da empresa de artigos de luxo LVMH Moet Hennessy Louis Vuitton e da PPR perderam mais de 2%.

Em Londres, o índice FT-100 terminou o dia em baixa de 1,89%, aos 5.835,89 pontos, com perdas puxadas pelas ações de empresas de turismo e do setor de mineração. As ações da Anglo American fecharam em baixa de 4,1% e as da Antofagasta cederam 3,9%. As ações das petroleiras Royal Dutch Shell caíram 2,3%, as da Essar Energy perderam 3,7% e as da Tullow Oil recuaram 2,6%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropafechamentocrisedívidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.