Bolsas européias fecham em queda, afetadas por NY

As preocupações com Wall Street e com as perspectivas de alta nas taxas de juro nas principais economias globais prejudicaram o andamento das bolsas européias. A Bolsa de Londres, em particular, foi atingida por desvalorização nos ativos de empresas relacionadas a commodities, como da BHP Billiton e Rio Tinto. Os investidores acompanham as negociações para fechamento dos preços do minério de ferro para 2006, entre os produtores e as siderúrgicas asiáticas, e as perspectivas incertas para os preços do cobre. O índice FT-100 fechou em queda de 40,40 pontos (0,68%), em 5.857,40 pontos. As ações da Rio Tinto caíram 2,2% e as da BHP Billiton recuaram 3,1%. Na Bolsa de Paris, os negócios foram orientados por realização de lucros e manutenção da onda especulativa recente. O índice CAC-40, de Paris, recuou 18,51 pontos (0,37%) e terminou a sessão em 4.992,21 pontos. As ações da Suez fecharam em alta de 1,1%, na expectativa de oferta pela Enel. Os papéis da Arcelor registraram as maiores perdas, de 2,6%, devolvendo os ganhos dos últimos três dias. A administração da empresa informou que discutiu a oferta hostil da Mittal Steel com seus acionistas e que a "grande maioria" se opôs à operação. A Bolsa de Frankfurt fechou com o índice Xetra Dax em baixa de 14,78 pontos, ou 0,26%, aos 5.739,28 pontos, acima da mínima do dia. "O Dax está acompanhando de perto Wall Street agora; quando lá cai, nós vamos junto", disse um operador. A Bolsa de Milão fechou com o índice S&P/Mib em baixa de 206 pontos, ou 0,55%, aos 37.515 pontos. Fortes perdas do setor financeiro pressionaram o índice, segundo um operador. Banco Popolare Verona e Novara caiu 2%, Sanpaolo Imi perdeu 1,6%, UniCredit cedeu 2,1% e Capitalia recuou 1,7%. A Bolsa de Madri fechou com o índice Ibex-35 em baixa de 57,80 pontos, ou 0,49%, aos 11.701,30 pontos. As ações da TPI fecharam em alta de 2,3%, liderando os ganhos, com a especulação de que há potenciais compradores para sua fatia na Telefónica. Em Lisboa, a bolsa fechou com o índice PSI-20 em baixa de 32,15 pontos, ou 0,33%, aos 9.589,59 pontos, com os investidores aproveitando o fraco desempenho dos demais mercados europeus para realizar lucros. Portugal Telecom terminou em queda de 0,4%, apesar do lucro melhor que o esperado registrado no ano fiscal de 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.