Bolsas européias fecham em queda com petróleo

As principais Bolsas européias fecharam em queda, puxadas pelo enfraquecimento dos papéis de commodities e telecomunicações. Além disso, pesaram também os dados mais fortes do que o esperado da geração de empregos nos Estados Unidos, que abalaram as esperanças de um corte iminente na taxa de juros americana. Apesar do declínio nos últimos pregões, alguns analistas, como David Moss, diretor da F&C Management, acreditam que as bolsas vão ter bom desempenho este ano, apesar de uma provável volatilidade. As ações da Nokia caíram 4,2% na Finlândia quando sua concorrente americana Motorola reduziu suas previsões para vendas e lucro no quarto trimestre. Londres Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 caiu 66,90 pontos ou -1,06% para 6.220,10 pontos. Na semana, o FT-100 acumulou uma baixa de 0,01%. Os papéis das empresas de energia caíram, com o recuo dos preços do petróleo afetando petroleiras e produtores de gás. As ações da BP recuaram 1%, o BG Group perdeu 3,56% e a Royal Dutch Shell caiu 2,37%. Por outro lado, a queda do petróleo afetou positivamente as empresas aéreas. Os papéis da British Airways subiram 0,73%, a easyJet ganhou 2,5% e a Ryanair terminou com 1,6% de alta. Paris O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, encerrou em queda de 57,21 pontos ou -1,03% em 5.517,35 pontos. Na semana, o CAC acumulou uma queda de 0,44%. As ações da Total caíram 1,31%, também afetadas pela queda dos preços do petróleo. Os papéis da Michelin caíram 3,56%, com uma certa realização de lucros, depois de a Merrill Lynch ter removido a empresa de sua lista "Europe 1" de ações recomendadas. As ações da Alstom caíram 3,52%. A atenção na segunda-feira será nos dados de venda da Peugeot de 2006 e no anúncio de contrato da Airbus. Frankfurt A Bolsa de Frankfurt fechou com o índice Xetra-DAX com perda de 81,31 pontos ou -1,22%, em 6593,09 pontos. Na semana, o DAX acumulou uma baixa de 0,06%. ?Nós seguimos os desenvolvimentos da Nasdaq à tarde, mas talvez tenhamos exagerado um pouco na queda?, avaliaram operadores. As ações da Volkswagen fecharam em alta de 2,52%, estendendo os ganhos da última sessão. Os papéis das empresas de energia E.ON e RWE caíram 4,36% e 3,93%, respectivamente, depois dos comentários da Comissão Européia de que pretende quebrar os monopólios do serviço público. Milão Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib caiu 253 pontos ou -0,59% para 41.571,0 pontos. Na semana, o S&P-Mib acumulou uma alta de 0,39%. A queda foi puxada novamente pelos papéis das empresas de energia, como Eni, Snam Rete Gas e Saipem, que recuaram por conta do preço do petróleo, segundo um operador. Eni caiu 1,15%, Snam Rete Gas perdeu 1,28% e Saipem recuou 0,29%. A empresa aérea Alitalia subiu 2,49% depois do investidor Paolo Alazraki ter anunciado que se reunirá com sindicatos na semana que vem para discutir sua oferta para comprar o controle da empresa com um grupo de investidores. Um operador afirmou que as ações da Alitalia ficarão muito voláteis antes da reunião, que, segundo Alazraki, deve ocorrer na terça-feira. O mercado ficará atento á decisão do Banco Central Europeu sobre a taxa de juros e sua entrevista coletiva na quinta-feira. Madri O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, terminou em baixa de 77,70 pontos ou -0,54% para 14.304,70 pontos. Na semana, o Ibex acumulou alta de 1,12%. O desempenho do índice hoje foi puxado pela queda causada pela venda de petroleiras e empresas de gás. Os papéis da Gas Natural caíram 2,52%, e da Repsol recuaram 1,85%. Os papéis da Mapfre lideraram a alta, subindo 5,41%. Lisboa A Bolsa de Lisboa fechou com o índice PSI-20 em queda de 19,99 pontos ou -0,18% em 11.243,0 pontos. Na semana, o PSI-20 acumulou uma alta de 0,41%. Os destaques ficaram por conta do Banco Comercial Português, que fechou em queda de 0,35%, e da SonaeCom, que subiu 2,36%, antes da esperada tomada de controle da Portugal Telecom. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.