Bolsas européias fecham em queda por EUA

As principais Bolsas européias fecharam em queda, com os investidores realizando lucros depois da abertura fraca do mercado norte-americano. "Os mercados em geral ainda estão reagindo negativamente aos dados do PIB dos EUA, divulgados na sexta-feira. Além disso, temos pela frente uma semana muito movimentada em termos de informes de resultados de empresas e também de indicadores", disse Martin Slaney, da GFT Global Markets. Segundo os economistas do Crédit Suisse, embora os dados do PIB dos EUA indiquem que as taxas de juro do Fed deverão ficar inalteradas, as do banco Central Europeu (BCE) ainda deverão subir. "Apesar de não prevermos que o BCE vá elevar as taxas de juro nesta quinta-feira, os fortes indicadores recentes implicam que o BCE provavelmente vai sinalizar que vai elevar sua taxa básica para 3,50% em dezembro", diz a nota do Crédit Suisse. Operadores disseram que a realização de lucros fez caírem principalmente as ações dos setores automotivo e de mineração. No período entre 1º de outubro e 27 de outubro, o componente do setor automotivo do índice de ações européias Stoxx-600 subiu 7% e o componente de mineração avançou 12%, enquanto o Stoxx-600 acumulou um ganho de 4%. Algumas ações reagiram a informes de resultados, como Statoil (-2,22% em Oslo) e ABN Amro (-0,22% em Amsterdã). Em Zurique, as ações do Crédit Suisse caíram 0,52% e as do UBS recuaram 0,76%, depois de o Wall Street Journal dizer que os dois bancos estão sendo investigados pela SEC norte-americana, por causa de supostas irregularidades em transações com bônus. Londres Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em queda de 34,1 pontos, ou 0,55%, em 6.126,8 pontos. As ações da Kazakhmys, do setor de mineração, caíram 2,55%, depois de a empresa relatar queda em sua produção de zinco e ouro no terceiro trimestre. As ações do setor de petróleo caíram, em reação à baixa dos preços do produto. No setor de materiais de construção, as ações da Hanson subiram 2,32%; elas haviam caído 4% na sexta-feira, em reação à notícia da oferta da mexicana Cemex pela australiana Rinker (havia uma expectativa de que a Cemex tentasse comprar a Hanson). No setor de seguros, as ações da Standard Life subiram 1,59%, depois de o Sunday Express dizer que a francesa AXA estaria interessada em fazer uma oferta pela empresa. No setor de mídia, as ações do grupo Pearson (que controla o Financial Times e a editora Penguin) caíram 1,54%, em reação a seu informe de vendas no terceiro trimestre. ARM Holdings, Imperial Tobacco e Friends Provident divulgam resultados nesta terça-feira. Paris O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em queda de 33,8 pontos, ou 0,63%, em 5.362,23 pontos. As ações da Schneider Electric caíram 7,19%, depois de a empresa anunciar um acordo para a compra da American Power Conversion por US$ 6,1 bilhões. As da Mittal Steel recuaram 2,51%, dando continuidade ao movimento de realização de lucros iniciado na semana passada. No setor automotivo, as ações da Peugeot-Citroën caíram 1,49% e as da Renault recuaram 0,39%. As ações da Carrefour caíram 1,77%, em reação a declarações pessimistas feitas no fim da semana passada por seu CEO. Sanofi-Aventis, Veolia Environnement, Legrand e Atos Origin divulgam resultados nesta terça-feira. Frankfurt A Bolsa de Frankfurt fechou com o índice Xetra-DAX em baixa de 4,35 pontos, ou 0,07%, em 6.258,19 pontos. Um trader disse que a tendência de alta permanece "perfeitamente intacta", mas que o movimento de correção no curto prazo poderá levar o DAX a cair para a casa dos 6.150 pontos. No setor automotivo, as ações da Volkswagen caíram 1,65%, as das DaimlerChrysler subiram 0,18%, as da BMW recuaram 1,24% e as da Porsche caíram 1,11%. As do banco Depfa caíram 3,4%, em reação a seu informe de resultados e a rebaixamentos de recomendação por analistas. As da Lufthansa subiram 1,47%, em reação à queda dos preços do petróleo. Linde, Metro e Fresenius Medical Care divulgam resultados nesta terça-feira. Milão Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib fechou em alta de 49 pontos, ou 0,12%, em 39.382 pontos. Operadores disseram que a queda forte dos preços do petróleo contrabalançou o sentimento negativo provocado pelos indicadores recentes dos EUA. No setor financeiro, as ações do Capitalia subiram 4,02%, em meio a especulações sobre uma oferta para a aquisição da instituição; as do Mediobanca avançaram 1,20%, em reação a seu informe de resultados. As da Fiat caíram 1,25%, devolvendo parte dos fortes ganhos que se seguiram á divulgação de seu informe de resultados, na semana passada. Operadores disseram que, nesta terça-feira, o mercado estará atento ao índice de preços ao consumidor da Itália e a informes de resultados de empresas como CIR e Cofide. Madri O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, fechou em baixa de 12,60 pontos, ou 0,09%, em 13.713,20 pontos. Operadores atribuíram a queda à realização de lucros com ações como Telefónica (-0,66%), BBVA (-0,37%) e BSCH (-0,22%). As ações da Cintra Infraestructuras de Transporte subiram 2,11%, em reação a comentários dos analistas do Deutsche Bank; as da Repsol recuaram 0,19%, depois do anúncio do acordo para que a empresa continue a operar na Bolívia. As do grupo Ferrovial subiram 1,55%, em reação a seu informe de resultados. Lisboa Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em queda de 30,18 pontos, ou 0,29%, em 10.539,46 pontos. As ações da Brisa Auto-Estradas, que divulga resultados nesta terça-feira, caíram 0,46%; as do Banco Comercial Português recuaram 0,39% e as da Energias de Portugal perderam 1,11%. As ações da Galp Energia, incluídas hoje no PSI-20, recuaram 1,16%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

30 de outubro de 2006 | 15h29

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.