Bolsas européias fecham em queda prejudicadas por NY

As principais bolsas européias fecharam em queda, pressionadas por uma abertura fraca em Wall Street após os fracos indicadores divulgados esta manhã. Sobre os mercados norte-americanos pesou a queda muito acima das expectativas, de 14,3%, do número de novas obras de imóveis residenciais iniciadas em janeiro e um alerta emitido pela gigante Microsoft Corp, de que as expectativas de vendas de computadores pessoais de alguns analistas podem estar otimistas demais. Também pesaram sobre as bolsas européias as preocupações de desaceleração no crescimento dos lucros das empresas, após a recente série de balanços desapontadores. Num dia fraco de notícias corporativas, o destaque na Europa foram as perdas do banco espanhol BBVA, após anunciar compra do norte-americano Compass Bank. O setor de alimentos e bebidas registrou um dos mais fracos desempenhos desta sexta-feira, com as ações das cervejarias InBev e SABMiller devolvendo os ganhos de ontem, inspirados pelas expectativas de atividade de fusão e aquisição. As ações da SABMiller caíram 1%, em Londres, enquanto as da Inbev recuaram 2,18%, em Bruxelas. Londres Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em queda de 13,8 pontos, ou 0,21%, em 6.419,5 pontos. Na semana, o FTSE-100 acumulou alta de 0,57%. As ações da supermercadista J Sainsbury recuaram 0,7% após as notícias de que o grupo de private equity teria retirado sua oferta pela empresa. As ações da empresa tinham disparado 13% no início de fevereiro depois que um grupo de investidores de private equity informou que estuda fazer uma oferta pela Sainsbury. As mineradoras também tiveram desempenho negativo, com destaque para as quedas da Vedanta Resources (-1,4%) e da Antofagasta (-0,7%), em reação ao enfraquecimento dos preços das commodities metálicas, após uma semana forte em ganhos para o setor. Paris O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, encerrou em baixa de 7,29 pontos, ou 0,13%, em 5.713,59 pontos. Na semana, o CAC acumulou alta de 0,37%. As ações da Michelin subiram 3,3%, o melhor desempenho do pregão pelo segundo dia consecutivo. As ações do grupo hoteleiro Accor avançaram 1,3% após as notícias de que vai receber 156 milhões de euros (US$ 205 milhões) de reembolso do governo francês. Já as ações da rede de televisão TF1 recuaram 1,7% antes da divulgação dos lucros de 2006. Frankfurt Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX terminou o dia com desvalorização de 1,55 ponto, ou 0,02%, em 6.957,07 pontos. Na semana, o DAX acumulou alta de 0,67%. As ações do grupo de gás Linde perderam 1% com realização de lucros. Já as ações da DaimlerChrysler subiram 1,3% em reação às notícias de que a General Motors estaria negociando a compra da Chrysler e não apenas a formação de uma joint-venture de veículos utilitários esportivos. Madri O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, fechou com perda de 25,7 pontos, ou 0,17%, em 14.851,20 pontos. Na semana, o Ibex acumulou queda de 0,16%. Destaque para o BBVA, que perdeu 2,4% após o anúncio de compra do Compass Bank, do Texas, por US$ 9,6 bilhões. Alguns analistas e investidores expressaram dúvidas com relação ao preço pago e à estratégia do BBVA nos EUA. O banco espanhol também anunciou a venda de sua participação de 5% na Iberdrola para auxiliar a aquisição do Compass. As ações da Iberdrola recuaram 0,2%. As ações da empresa de energia Union Fenosa subiram 2%, após a forte queda de ontem. Lisboa Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 registrou ganho de 191,17 pontos, ou 1,60%, em 12.121,01 pontos. Na semana, o PSI acumulou alta de 1,95%. As ações da Sonaecom dispararam 18% após elevar sua oferta pela Portugal Telecom para 10,5 euros por ação, aumentando assim as chances de levar a PT. As ações da Sonae SGPS também subiram 10%, liderando o volume de negócios do pregão. Já a PT recuou 0,5%, devolvendo os ganhos do início da sessão. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.