Bolsas europeias fecham sem direção comum

Investidores avaliam impactos da falta de acordo sobre aumento do teto de endividamento dos EUA

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

26 de julho de 2011 | 15h05

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam mistos, com investidores digerindo os balanços corporativos de empresas como BP, Deutsche Bank, UBS e STMicroelectronics. Os investidores também avaliam os impactos da ausência de um acordo sobre o aumento no teto de endividamento dos Estados Unidos, medida que, segundo o governo norte-americano, é a única alternativa para evitar um default (moratória) na semana que vem.

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,44%, para 270,08 pontos. Na Bolsa de Londres, o FTSE-100 avançou 0,08%, para 5.929,73 pontos. Em Paris, o CAC 40 perdeu 0,66%, para 3.787,88 pontos. Na Bolsa de Frankfurt, o Xetra DAX fechou em alta de 0,07%, a 7.349,45 pontos.

Em Milão, o índice FTSE MIB subiu 0,27%, para 19.029,86 pontos. O IBEX 35, da Bolsa de Madri, recuou 0,33%, para 9.833,40 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 teve alta de 0,04%, para 7.027,95 pontos. O ASE, da Bolsa de Atenas, perdeu 2,82%, para 1.233,22 pontos.

As ações do UBS fecharam em queda de 2,9% depois de o banco anunciar que seu lucro do segundo trimestre caiu pela metade em relação a igual período do ano passado por causa da apreciação do franco suíço e da redução no volume de clientes. O UBS divulgou que vai cortar custos e funcionários para compensar esses impactos.

Os papéis de outros bancos também caíram, em particular na Grécia, onde as ações do Piraeus Bank recuaram 6%. "Embora o recente rebaixamento da Grécia pela Moody''s não tenha surpreendido o mercado, ainda há preocupação com os riscos de implementação (do plano de resgate) e com uma potencial disseminação" da crise para outros países europeus, disse Anita Paluch, operadora de vendas da ETX Capital. "Há também a questão sem solução do teto da dívida dos EUA que está gerando ansiedade porque pode ter consequências desconhecidas", acrescentou.

O Deutsche Bank subiu 0,73% após publicar que seu lucro no segundo trimestre cresceu para 1,2 bilhão de euros, de 1,16 bilhão de euros em igual trimestre do ano anterior. Entre as petrolíferas, a BP teve declínio de 2,6% em Londres depois de divulgar um lucro para o segundo trimestre que ficou aquém das estimativas de analistas. O BG Group, cujo lucro durante o período dobrou na comparação com o segundo trimestre de 2011, fechou em alta de 4,3%.

Em Paris, a STMicroelectronics teve queda de quase 12% depois de divulgar projeções de vendas mais fracas do que o previsto. Outras empresas do setor de tecnologia também recuaram. A Infineon Technologies perdeu 0,8%, enquanto a ARM Holdings caiu 3,3%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropafechamentobalanços

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.