Bolsas européias mantêm ganhos com aquisições

As bolsas européias mantêm os ganhos dos últimos oito dias, que projetam os principais índices de ações aos níveis mais elevados desde 2001. O noticiário corporativo, envolvendo operações de fusões e aquisições, alimenta as praças européias. Às 9h23 (de Brasília), o índice FT-100, de Londres, subia 0,28%; o índice Xetra-DAX, de Frankfurt, avançava 0,53%; e o CAC-40, de Paris, operava em alta de 0,24%. O índice CAC-40 atingiu o maior nível desde agosto de 2001, a 5.174,14 pontos na máxima do dia até agora. As especulações nesta segunda-feira concentravam-se no setor de seguros, onde a recusa pela Prudential da oferta da Aviva causaram rumores de elevação nos lances pela companhia. A Aviva fez proposta inicial de US$ 29,7 bilhões pela Prudential, 5,4% acima do preço de fechamento em 17 de março. O jornal britânico Sunday Telegraph publicou que o American International Group Inc e o Axa SA consideram fazer oferta pelo Prudential. Rumores de que o Zurich Financial está em negociação com o grupo norte-americano St Paul Travelers esquentou o noticiário de fusões e aquisições. Na Espanha, comentava-se que a empresa de construção Ferrovial deve tentar convencer os acionistas da BAA a apoiar oferta de 8,8 bilhões de libras pela operadora dos aeroportos Heathrow, Gatwick e Stansted, de Londres, antes de lançar oferta hostil. A BAA rejeitou uma oferta inicial feita na sexta-feira pelo Ferrovial. Mas as especulações continuaram, tendo em vista informações de que o grupo de investimentos australiano Macquarie Bank preparava oferta superior à feita pelo Ferrovial. Ainda, a diretora-executiva da London Stock Exchange, Clara Furse, considera retomar as negociações de fusão com a Euronext, depois de recusar oferta do Nasdaq, divulgou o Sunday Telegraph. Mas a informação não foi confirmada por porta-voz da empresa. As informações são das agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.