Bolsas européias operam em baixa

A Bolsa de Londres opera em baixa modesta em comparação às bolsas européias, favorecida pelo entusiasmo dos investidores com o setor de mineração, cujo potencial de lucro é positivo, tendo em vista a forte apreciação das commodities. O mercado londrino é favorecido ainda pelo anúncio do resultado de vendas da loja de departamentos Marks & Spencer, que surpreendeu. As ações da Antofagasta, mineradora baseada na Chile, subiam 1,7%, os papéis da Rio Tinto ganhavam 1,6% e os da BHP Billiton avançavam 2%. As ações da Anglo American subiam 1,4%. Às 9h30 (de Brasília), o índice FT-100 recuava 0,05%. O índice Xetra-DAX, da Bolsa de Frankfurt, caía 0,51%. Em Paris, o índice CAC-40 operava em baixa de 0,45%. As ações das mineradoras foram sustentadas também pela melhora na recomendação da Xstrada e da Anglo American pelo Deutsche Bank, que vê perspectiva favorável para o setor de metais, com base na alta dos preços das commodities e na elevação dos lucros e fluxo de caixa das empresas. O Deutsche também acrescentou a Rio Tinto em sua lista de preferidos. A Merrill Lynch elevou suas estimativas de preço no longo prazo para o alumínio, cobre, níquel, zinco e chumbo entre 15% e 50%. As ações de petrolíferas também subiam, beneficiadas da alta da commodity no mercado futuro, que atingiu recorde de alta em Londres nesta manhã. O Deutsche Bank elevou também sua projeção de preço para o barril do WTI em US$ 5,00 para 2007 e 2008, observando que a economia norte-americana oferece poucos sinais de desaceleração e que a oferta dos países fora da Opep não deve atender a demanda com facilidade. As ações da British Petroleum e da Royal Dutch Shell subiram mais de 1% cada, pelo segundo pregão consecutivo. As ações da Marks & Spencer subiram mais de 3%, ao informar aumento de 6,8% em suas vendas no quarto trimestre, superando as estimativas de aumento de 3,2% dos analistas. Na contramão, em baixa, estiveram as ações da seguradora Prudential, depois de sua concorrente francesa Axa ter negado manter conversações para aquisição ou fusão com a Prudential. Em Frankfurt, a queda do índice ZEW em abril não agradou. O índice que avalia o sentimento do empresariado em relação à economia alemã recuou para 62,7 em abril, de 63,4 em março, nível inferior também a previsão, de 65. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.