Bolsas européias operam próximas das máximas em 5 anos

As bolsas européias operam próximas das máximas dos últimos cinco anos, sustentadas pelas ações de empresas mineradoras e pela disputa pela companhia espanhola de energia Endesa. As mineradoras puxam pra cima especialmente a Bolsa de Londres, onde têm maior peso, projetando o índice FT-100 para os melhores níveis desde maio. As ações das mineradoras de cobre Xstrata, da Vedanta Resources, da Antofagasta e da Kazakhmys, além das mineradoras Anglo American, Rio Tinto e BHP Billiton sobem mais de 1%. O índice FT-100 avançava 1% às 9h25 (de Brasília), para 5.931 pontos, máxima em cinco anos. Mais cedo superou o patamar de 6.000 pontos pela primeira vez desde 12 de maio, quando também operava nas máximas em cinco anos. As mineradoras são beneficiadas por movimento de recuperação técnica dos papéis, favorecido pelas expectativas de manutenção na demanda por metais pela China e de oferta escassa. Segundo projeções do FMI, divulgadas em seu relatório semestral de perspectivas econômicas, a China deve crescer em média 10% este ano e em 2007. Analistas do banco de investimentos Goldman Sachs dizem que como tais companhias são fortes geradoras de recursos, um cenário de pagamento elevado de dividendos e de operações de recompra de ações, incluindo fusões, é possível e tende a sustentar uma recuperação destes papéis. A Goldman Sachs disse que a Xstrata é um bom investimento, já que projeta potencial benefício de sua recente aquisição, da Falconbridge. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX subia 0,53% no mesmo horário acima, para 5.991,59 pontos. O índice atingiu o patamar de 6 mil pontos, influenciado por ganhos da siderúrgica ThyssenKrupp e da empresa de pneus Continental. Ainda na Alemanha, as ações da E.ON caíram 1,2%, depois de anunciar a elevação de sua oferta por participação de 38% na Endesa, para US$ 47 bilhões, com o acirramento na disputa pela companhia de energia espanhola. Na disputa está a companhia espanhola Gas Natural e a companhia de construção Acciona, que ontem adquiriu 10% de participação na Endesa. As ações da Endesa subiram 6,5% mais cedo e as da Acciona avançaram 2,8%. Os papéis da Gas Natural saltaram 5,5%. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 operava em alta de 1,97%. Em Paris, as ações da Peugeot Citroën, principal montadora francesa, subiram mais de 3%, depois de anunciar plano para reduzir custos e elevar sua lucratividade. Os papéis da Renault ganharam 1,1%, com informações de que a General Motors buscará fazer parte da aliança Renault-Nissan. Às 9h27, o índice CAC-40, da Bolsa de Paris, avançava 0,47% para 5.244 pontos. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

27 de setembro de 2006 | 09h29

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.